China estende por seis meses investigação antidumping sobre frango do Brasil

Medida afetou os principais exportadores brasileiros JBS e BRF

Reuters

A China vai estender por seis meses a investigação sobre a prática de dumping nas importações de frango do Brasil, informou nesta quinta-feira (16) o Ministério de Comércio da China.

A investigação, lançada em agosto do ano passado, foi estendida até 18 de fevereiro devido à complexidade do caso, disse o ministério.

Pequim anunciou em junho a imposição de direito antidumping provisório sobre as importações de frango provenientes do Brasil, de 18,8% e 38,4% sobre o valor das importações, em uma medida que afetou os principais exportadores brasileiros JBS e BRF.

Caminhão com frangos que vão para abate em frigorífico de Carambeí, no Paraná
Caminhão com frangos que vão para abate em frigorífico de Carambeí, no Paraná - Adriano Vizoni - 8.mar.18/Folhapress

Em julho, a Camex (Câmara de Comércio Exterior), grupo que reúne oito ministérios, decidiu iniciar os estudos para questionar na OMC (Organização Mundial do Comércio) a barreira levantada pela China contra o frango brasileiro.

Na ocasião, o Itamaraty e os ministérios da Agricultura e de Comércio Exterior afirmaram que a medida não tinha amparo nas regras do comércio internacional, indicando que o Brasil poderia recorrer à OMC.

No mesmo mês, em encontro da décima cúpula do Brics (bloco que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o governo brasileiro pediu a eliminação de sobretaxas sobre o frango brasileiro para o mercado chinês.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.