China recebe bem convite dos EUA para negociações comerciais

Trump diz que americanos não estão sob pressão para fazer acordo

Washington e Pequim | Reuters

A China afirmou nesta quinta-feira (13) que recebeu bem o convite dos Estados Unidos para realizar uma nova rodada de discussões comerciais, no momento em que Washington se prepara para intensificar a guerra comercial entre os dois países com tarifas sobre 200 bilhões de dólares em bens chineses.

O governo americano convidou autoridades chinesas a retomar as negociações comerciais, afirmou na quarta-feira o principal assessor econômico da Casa Branca.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, afirmou a repórteres que a China recebeu bem o convite, e que os dois países estão discutindo os detalhes.

Presidente americano, Donald Trump, e presidente chinês, Xi Jinping
Presidente americano, Donald Trump, e presidente chinês, Xi Jinping - Nicolas Asfouri/AFP

"A China sempre manteve que uma intensificação do conflito comercial não é do interesse de ninguém. De fato, a partir das negociações preliminares do mês passado em Washington, as equipes comerciais dos dois lados mantiveram várias formas de contato, e tiveram discussões sobre as preocupações de cada lado", disse ele.

Larry Kudlow, que chefia o Conselho Econômico da Casa Branca, disse à Fox Business Network que o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, enviou um convite a autoridades chinesas, mas recusou-se a dar mais detalhes.

"Existem algumas discussões e informação que recebemos de que o governo chinês –o nível mais alto do governo chinês deseja realizar conversas", disse Kudlow. "Assim, o secretário Mnuchin, que é o líder da equipe com a China, aparentemente enviou um convite."

Duas pessoas familiarizadas com os esforços disseram que o convite de Mnuchin foi enviado a seus equivalentes chineses, incluindo o vice-premiê, Liu He, e o principal assessor econômico do presidente chinês, para negociações nas próximas semanas. O local e o dia ainda precisam ser definidos.

SEM PRESSÃO

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta que os EUA não estão sob pressão para fechar um acordo comercial com a China, um dia após seu principal assessor econômico ter dito que o governo convidou as autoridades chineses a reiniciar as negociações.

"Não estamos sob pressão para fazer um acordo com a China, eles estão sob pressão para fazer um acordo conosco. Nossos mercados estão em alta, enquanto os deles estão em colapso. Em breve estaremos recebendo bilhões em tarifas e produzindo produtos em casa", escreveu Trump em uma publicação em sua conta no Twitter.

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.