Elo foca classe alta ao adotar Diners a seu portfólio

Parceria com Discover mantém bandeira no Brasil

Arthur Cagliari
São Paulo

O Diners não vai acabar mais no Brasil. Após o Itaú Unibanco notificar usuários sobre a descontinuidade da parceria que trazia o cartão ao país, a Elo confirmou um acordo com a Discover, empresa de serviços bancários, para assumir a marca Diners Club em seu portfólio. 

Com a nova marca, a bandeira de cartões brasileira passa a focar também o público de alta renda, afirma o presidente da Elo, Eduardo Chedid. "O Diners está muito relacionado ao segmento de alta renda da pessoa física [...] e faz todo sentido para Elo ter esses produtos porque eles complementam seu portfólio."

A Elo, que surgiu como uma parceria entre Banco do Brasil, Bradesco e Caixa com foco no público de baixa renda, fez seu primeiro acordo com a Discover em 2015. "Começamos com o objetivo de transformar os cartões Elo, que operavam só no Brasil, em cartões aceitos no mundo todo. Essa primeira parceria fez com que eles fossem aceitos em 190 países", disse Chedid.

O contrato para assumir a bandeira Diners, que tem duração inicial de dez anos, foi antecipada pelo jornal Valor nesta quarta (21).

Segundo Chedid, atualmente 40% de todo volume transacionado (em reais) com o cartão de crédito Elo vêm do público de alta renda, mas só 5% dos usuários do cartão pertencem a esse grupo.

A parceria fechada com a Elo, porém, não altera o processo de substituição dos antigos cartões Diners (emitidos pelo Itaú) para a bandeira Visa. Quem quiser, em um primeiro momento, continuar com a marca Diners terá de solicitar um novo cartão com a bandeira pelo Banco do Brasil ou pelo Bradesco. A partir de março também será possível obtê-lo pela Caixa Econômica Federal.

Chedid explica que, por serem bancos diferentes, uma nova análise de crédito terá de ser feita, o que, na prática, significa que o histórico com o cartão antigo, emitido pelo Itaú, desaparece.

No país, Diners Club pertencia ao Citibank, cuja área de varejo foi adquirida pelo Itaú em 2016
No país, Diners Club pertencia ao Citibank, cuja área de varejo foi adquirida pelo Itaú em 2016 - Matt Rourke/Associated Press

Benefícios

A bandeira Elo Nanquim Diners Club deve ser voltada para pessoa física com ganhos a partir de R$ 30 mil mensais. A marca também atenderá o segmento corporativo.

Caso o cliente compre sua passagem aérea com o cartão, ele terá acesso a um voucher para viajar até os aeroportos, acesso a salas VIP e recebimento de um chip de celular para usar no exterior com direito a 100 minutos de ligação de voz e 4 GB de dados para conexão com internet. 

Além disso, a cada US$ 1 (R$ 3,78) gastos no exterior com o cartão, o proprietário do cartão acumula 5 pontos no programa de fidelidade da bandeira. 

Diners no Brasil

Criada em 1950 nos EUA, após um advogado perceber, ao tentar pagar a conta em um restaurante, que esquecera sua carteira, a americana Diners Club International (“clube internacional do jantar”) foi a primeira companhia de cartão de crédito independente do mundo.

No país, a marca pertencia ao Citibank, cuja área de varejo foi adquirida pelo Itaú em 2016.

No domingo (18), a Folha divulgou que o Itaú vinha notificando usuários sobre a descontinuidade de sua parceria com a bandeira. 

Com a extinção da bandeira emitida pelo Itaú, os clientes Diners Club Internacional Multiplus virarão Multiplus Itaucard Gold Visa.

Quem tinha Diners Club Exclusive e Diners Club Internacional mudará para o Credicard Exclusive Platinum Visa —detentores destes cartões terão dois acessos às salas VIPs por um período de 12 meses, sem renovação.

Havia 172,1 mil cartões Diners ativos no fim de 2017, segundo análise da Boanerges com base em dados do BC. 

A substituição dos cartões será automática. Até janeiro de 2019, o novo plástico será entregue no endereço já cadastrado pelo usuário, com nova senha e código de acesso à central de atendimento.

O cartão deve ser desbloqueado nos canais do Citi: www.citi.com.br ou CitiPhone —4004-2484 (capital e região metropolitana) ou 0800 701 2484 (demais localidades). Depois, é preciso alterar as senhas.

Mesmo após o desbloqueio, os canais de atendimento permanecerão os do Citi por um tempo. A migração para os canais do Itaú será feita entre fevereiro e março de 2019.

Segundo o Itaú, a anuidade do Diners será mantida ao menos até a renovação do plano vigente. 

A forma de envio de faturas, por email ou correio, permanecerá a mesma. Após a substituição do cartão, faturas fechadas poderão ser consultadas pelo CitiPhone. No site só estarão disponíveis as faturas geradas depois da troca.

O Itaú diz que a migração não influencia a concessão de crédito, mas o limite poderá ser revisto mais adiante.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.