Investigação dos EUA sobre Huawei inclui acusações de fraude no HSBC, diz agência

Americanos investigam se companhia chinesa violou sanções do país contra o Irã desde pelo menos 2016

Washington

A prisão da vice-presidente financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi parte de uma investigação dos Estados Unidos sobre um suposto esquema de utilização do sistema bancário global para contornar sanções americanas contra o Irã, afirmaram fontes com conhecimento do assunto.

Os EUA estão investigando se a Huawei Technologies, companhia chinesa de equipamentos para telecomunicações, violou sanções do país contra o Irã desde pelo menos 2016 e o uso mais recente do HSBC pela companhia chinesa para fazer transações ilegais envolvendo o Irã.

Logo do Huawei; empresa é a segunda maior fabricante de smartphones do mundo - Aly Song/Reuters
Logo do Huawei; empresa é a segunda maior fabricante de smartphones do mundo - Aly Song/Reuters - Ng Han Guan/Associated Press

Em 2012, o HSBC pagou US$ 1,92 bilhão em um acordo com promotores dos EUA por conta de acusações que vincularam o banco a violações de sanções norte-americanas e a lavagem de dinheiro.

Um porta-voz do HSBC não comentou o assunto. A Huawei também não se manifestou. Um porta-voz da Promotoria no Brooklyn, que a reportagem informou que está investigando a Huawei, não quis comentar o caso.

O HSBC não está sob investigação, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto.

 
Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.