Descrição de chapéu Cifras & Letras

Mundo de ilusões de startups é alvo de escritor anônimo

Sob o pseudônimo Startup da Real, autor critica pouco realismo no setor

Filipe Oliveira
São Paulo

Este Livro Não Vai Te Deixar Rico

  • Preço R$ 12,90 (ebook na Amazon), 168 págs.
  • Autor Startup da Real
  • Editora Autopublicação

Ao atender o telefone, pergunto como devo chamar meu interlocutor. Sem revelar seu nome, a pessoa no outro lado da linha pede que use apenas Startup da Real.

Esse também é seu pseudônimo no Twitter e na plataforma de publicação de artigos Medium. Por essas redes, há pouco mais de um ano são feitas críticas ácidas à cultura das startups e do empreendedorismo no Brasil.

Depois de o perfil acumular mais de 23 mil seguidores, os principais textos publicados desde o início dele foram reunidos neste mês na coletânea "Este Livro Não Vai Te Deixar Rico", lançada na Amazon. 

O livro logo se tornou o ebook de empreendedorismo mais vendido por duas semanas no site da varejista.

O alvo principal da Startup da Real é o que chama na entrevista de teologia da prosperidade que se criou ao redor do empreendedorismo. Pregada no púlpito de palestras do Ted Talks, a doutrina glorifica as jornadas de trabalho sem fim como caminho inequívoco até os bilhões na conta bancária.

O próprio perfil no Twitter nasceu com o propósito de fazer piada com um amigo adepto dos gurus da moda e de frases de efeito sobre sucesso.

Com o tempo, as gozações começaram a chamar a atenção de mais pessoas, e a Startup da Real passou a levar a coisa mais a sério, escrevendo artigos que buscavam embasar seus argumentos em dados concretos.

Seus textos traçam uma caricatura do "startupeiro", que acredita no mito de que vai criar algo na garagem, não tem funcionários, mas usa o cargo de presidente-executivo na rede social corporativa LinkedIn e acha que precisa dormir cada vez menos para desenvolver as milhares de ideias disruptivas que teve em maratonas de programação.

Os recorrentes alertas da Startup da Real de que a maior parte das empresas tradicionais quebram em cinco anos e, no caso de startups, quase todas, são um bom antídoto para a falta de realismo de muitos que entram nesse mercado.

Funcionário transporta em Pequim bicicletas da Ofo, startup de compartilhamento que pode quebrar - Thomas Peter - 20.dez.18/Reuters

Outra provocação pega em cheio quem pensa que começou um negócio em 15 minutos e, principalmente, os que ganham dinheiro ensinando a trabalhar dessa forma.

Citando a principal ferramenta para criar startups, , o MVP (Produto Mínimo Viável, da sigla em inglês), o autor repete que criar uma landing page (página com informações básicas da empresa ) não é a mesma coisa que o produto feito rapidamente e com baixo custo proposto por quem leva o assunto a sério.

A Startup da Real também causou furor ao seguir exemplo do que foi feito no setor de agências de propaganda e lançar uma planilha aberta para que qualquer funcionário de startup contasse, sob anonimato, como é trabalhar na empresa em que está empregado. 

No ar desde maio, a planilha recebeu 539 mensagens. Há elogios, mas também críticas duras sobre executivos machistas, abuso moral, critérios pouco claros para recompensar bom desempenho e jornadas de trabalho sem fim.

Conforme pessoas passaram a se irritar com iniciativas como essa, deixar o anonimato ficou fora de cogitação, diz a Startup da Real.

O que topa contar é que trabalhou por dez anos em uma empresa tradicional, teve três startups que quebraram e segue no setor, como empregado. Também pede que seu gênero seja mantido em segredo.

Pensa em ter um novo negócio no futuro, mas só se encontrar algo de que goste. Talvez um restaurante.

Enquanto isso, A Startup da Real, agora encarada como companhia, tem livro no mercado e recebe doações mensais de quase 50 admiradores. Mais do que muita empresa com MVP por aí.

Falando umas verdades

Querer não é tudo O acaso e variáveis econômicas que estão fora de nosso controle podem desempenhar um papel maior no sucesso do que a força de vontade

Deixe a arrogância Leve o estudo a sério. Não dá para aprender tudo com vídeos de sete minutos na internet

Use o tempo livre Alguém que trabalha de 12 horas a 14 horas por dia não cuida da saúde e da família, corre mais risco de ficar doente e não produz com qualidade

Desconfie de conselhos Consultores não perdem nada ao vender fórmulas de sucesso caso elas deem errado para você


MAIS VENDIDOS

Veja livros que se destacaram na semana


TEORIA E ANÁLISE

1º/1º Scrum, Jeff Sutherland, ed. LeYa, R$ 34,90
2º/3º Rápido e Devagar, Daniel Kahneman, Ed. Objetiva,  R$ 62,90
3º/2º O Livro dos Negócios (reduzido), Ian Marcousé, Globo Livros, R$ 59,90
4º/4º  Arriscando a Própria Pele, Nassim Nicholas Taleb, Ed. Objetiva, R$ 54,90
5º/-  Valsa Brasileira, Laura carvalho, ed. Todavia, R$ 49,90


Prática e Pessoas

1º/1º A Sutil Arte de Ligar o F*da-se, Mark Manson, Ed. Intrínseca, R$ 29,90
2º/2º Me Poupe!, Nathalia Arcuri, Ed. Sextante, R$ 29,90, 
3º/3º  Pai Rico, Pai Pobre, Robert T. Kiyosaki e Sharon L. Lechter, ed. Alta Books, R$ 65
4º/4º  O Poder do Hábito, Charles Duhigg, Ed. Objetiva, R$ 49,90
5º/-  Os Segredos da Mente Milionária, T. Harv Eker, ed. Sextante, R$ 29,90

Lista feita com amostra informada pelas livrarias Curitiba, da Folha, da Vila, Saraiva e Argumento; os preços são referências do mercado e podem variar 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.