Cármen Lúcia determina abertura de 19 inquéritos com base em delação da Carne Fraca

Operação apurou denúncias de irregularidades na fiscalização de frigoríficos

Brasília | Reuters

A ministra Cármen Lúcia, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou a abertura de 19 inquéritos contra políticos com foro privilegiado com base em uma delação premiada de um investigado pela operação Carne Fraca, confirmaram nesta quarta-feira (16) à agência Reuters duas fontes com conhecimento do caso.

Os nomes dos investigados estão sob sigilo porque as apurações vão correr sob segredo de Justiça. Os inquéritos foram formalmente abertos nesta quarta-feira.

Em julho do ano passado, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, havia encaminhado ao STF pedido para abertura de 19 inquéritos com base na delação fechada pelo ex-superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná Daniel Gonçalves Filho, disse uma das fontes.

A análise dos pedidos foi inicialmente encaminhada ao ministro Dias Toffoli, que, ao assumir a presidência do STF em setembro, repassou-os para Cármen Lúcia.

A operação Carne Fraca foi deflagrada inicialmente pela PF em março do ano passado, e jogou o setor de proteína animal do Brasil em uma grave crise de credibilidade com denúncias de irregularidades na fiscalização de frigoríficos, levando muitos países a suspenderem temporariamente as compras dos produtos nacionais.

Gonçalves Filho, agora delator, foi um dos presos na primeira etapa da operação.

A ministra do STF Carmen Lúcia durante sessão plenária
A ministra do STF Carmen Lúcia durante sessão plenária - Pedro Ladeira/Folhapress
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.