Dólar fecha a R$ 3,7140 e termina semana estável

Bolsa brasileira recua, mas mantém patamar de 93 mil pontos

São Paulo

O dólar terminou a sexta-feira com pequena alta ante o real, após uma sessão de muito vaivém, sem se afastar no nível de R$ 3,70, com os investidores monitorando de perto o mercado externo e o noticiário à espera de novidades para tomar decisões de investimentos. A Bolsa brasileira recuou, mas termina a semana com alta de quase 2%.

A moeda americana encerrou com ganho de 0,10%, a R$ 3,7140, fechando a semana praticamente estável (-0,05%).

Um diretor de tesouraria de um banco estrangeiro afirmou que é preciso mais combustível, ou seja, noticiário favorável, para que o dólar continue em queda. 

Pela manhã, a moeda abriu em baixa com algum otimismo de investidores após a fala do presidente do Fed, Jerome Powell, que pregou mais uma vez paciência em relação à alta de juros dos Estados Unidos.Segundo ele, a perspectiva de duas altas de juros indicada no encontro de política monetária de dezembro estava condicionada a uma perspectiva muito forte para 2019. Powell ponderou, no entanto, que "essa perspectiva ainda pode acontecer", embora o Fed não tenha um caminho preestabelecido para as taxas.

"O aumento gradual de juros nos Estados Unidos pode ser interrompido a qualquer momento", destacou o diretor da assessoria de câmbio FB Capital, Fernando Bergallo, ao destacar o efeito positivo da comunicação recente do banco central norte-americano.

As expectativas positivas com as negociações entre EUA e China também ampararam um sentimento melhor nesta sessão, embora a expectativa por algum anúncio de fato contivesse qualquer movimento mais ousado.

Autoridades americanas esperam que o principal negociador comercial da China visite Washington neste mês, sinalizando que discussões de alto nível devem acontecer após as conversas desta semana entre autoridades de nível intermediário em Pequim.

O Ibovespa, principal índice acionário do país, seguiu o tom majoritariamente negativo do exterior e fechou em leve baixa. O índice cedeu 0,15%, a 93.658 pontos nesta sexta.

As pressões de baixa vieram da queda nos papéis de Petrobras, Vale e do setor bancário.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.