Em recuperação judicial, Avianca Brasil corta voos internacionais e devolve aeronaves

Rotas de Guarulhos para Miami, Nova York e Santiago se encerram em março; voos para Bogotá serão mantidos

Joana Cunha
São Paulo

Em recuperação judicial desde dezembro, a companhia aérea Avianca Brasil anuncia nesta quinta-feira (17) o corte de seus voos internacionais mais importantes e a devolução de duas aeronaves A330 a empresas de arrendamento. 

A partir de 31 de março, a companhia encerra seus voos diários que partem de Guarulhos para Santiago, Nova York e Miami. 

Na noite desta quarta (26), o vice-presidente comercial da empresa, Alberto Weisser, começou a entrar em contato com as operadoras e agências de viagens parceiras para informar sobre o encolhimento da malha, que passa de 264 para 243 voos diários.  

Desde o anúncio da recuperação judicial,  já foram devolvidas quatro aeronaves. O plano é devolver mais oito. 

Os voos domésticos continuam, sem modificações.

Segundo pessoas que participaram das reuniões para a decisão, a empresa também entrará em contato para ajustar a situação de passageiros que já tinham bilhetes comprados nestes voos em datas posteriores ao encerramento. 

Pelas regras da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), neste caso, a companhia aérea deve reembolsar os viajantes ou reacomodá-los em voos de outras empresas.

Balcão da Avianca no aeroporto Afonso Pena, em Sao José dos Pinhais - Paulo Whitaker/Reuters

Procurada, a Avianca Brasil afirma que os outros 26 destinos em que opera “estão preservados” e que continua trabalhando normalmente, com mais de 240 voos diários. 

“Assim como em dezembro, mês em que foi a aérea com o menor percentual de voos cancelados do país, a Avianca Brasil seguirá transportando em segurança milhares de passageiros até seus destinos”, diz em nota.

A Avianca Brasil pediu recuperação judicial depois que empresas de leasing com as quais negociava pagamentos entraram na Justiça com pedidos de reintegração de posse para retomar aeronaves.

Com isso obteve um prazo para suspender a reintegração de posse.

Na segunda-feira (14), a companhia conseguiu novamente prorrogar o prazo por mais 15 dias, período em que terá de apresentar as propostas de pagamento das dívidas vencidas ou um plano de devolução dos aviões.

A Avianca Brasil não informa quais são os arrendadores de aeronaves que terão seus aviões devolvidos e afirma que o corte na malha faz parte de uma reestruturação planejada desde meados de 2018.

Os voos que partem de Fortaleza e Salvador para Bogotá permanecem. A rota de Guarulhos a Bogotá continua existindo mas será transferida para a Avianca Holdings, que apesar de homônima é uma empresa formalmente separada. A companhia tinha dois voos para Miami, um noturno permanente e um diurno de alta temporada. Nova York e Santiago faziam apenas uma frequência diária.

A abertura de voos internacionais foi um passo ousado dado pela Avianca Brasil em 2017, quando o mercado de aviação começou a sentir sinais de melhora na demanda que havia sofrido um forte golpe durante a recessão da economia brasileira.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.