Justiça extingue ação movida pela FUP contra presidente da Petrobras

Federação acusava Roberto Castello Branco por suposta improbidade administrativa

Rio de Janeiro

A Justiça Federal no Rio de Janeiro extinguiu ação civil pública movida pela FUP (Federação Única dos Petroleiros) contra o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, por suposta improbidade administrativa, pela nomeação capitão-tenente da reserva da Marinha Carlos Victor Nagem como novo gerente-executivo de Inteligência e Segurança Corporativa, segundo documento visto pela agência Reuters.

A indicação de Nagem, que ainda será submetida aos procedimentos de governança da companhia, foi anunciada por Jair Bolsonaro na semana passada, pelo Twitter, e causou grande repercussão por se tratar de um amigo do presidente.

Bolsonaro também publicou na rede social o currículo de Nagem, informando que ele é funcionário da Petrobras há 11 anos, dos quais seis atuando na área de segurança corporativa. Ele é administrador graduado pela Escola Naval e capitão-tenente da reserva da Marinha.

Segundo a FUP, que representa 12 sindicatos de petroleiros, Nagem não tem as qualificações exigidas pelo Plano de Cargos e Remuneração da estatal.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.