Mais de 370 mil clientes se unem a processo contra Volkswagen na Alemanha

Associação diz que empresa prejudicou clientes deliberadamente com softwares enganoso

Frankfurt | AFP

Mais de 370.000 proprietários de automóveis Volkswagen equipados com motores manipulados se uniram ao processo contra a gigante automobilística na Alemanha em um mês - informou o Gabinete Federal de Justiça nesta quinta-feira (3).

Exatamente 372 mil donos de automóveis tinham se inscrito em 2 de janeiro de 2019 no registro aberto desde o fim de novembro, informou à AFP um porta-voz do organismo.

A associação alemã de consumidores VZBV deu entrada com esta ação na Justiça em novembro passado no tribunal de Brunswick, a poucos quilômetros da sede da Volkswagen.

Logo da montadora Volkswagen em Dusseldorf, na Alemanha - PATRIK STOLLARZ 28.set.2015/AFP

Em 2015, a empresa admitiu ter manipulado 11 milhões de veículos - 2,4 milhões deles vendidos na Alemanha. 

A associação foi criada quando entrou em vigor um novo procedimento jurídico coletivo criado após o escândalo do "dieselgate". O procedimento deveria dar lugar a um primeiro grande julgamento iniciado por consumidores no contexto deste escândalo.

O objetivo dos demandantes é demonstrar que a Volkswagen prejudicou deliberadamente seus clientes mediante a instalação de softwares que faziam o veículo parecer menos poluente do que de fato era. Por isso, os demandantes exigem uma indenização por danos e prejuízos. 

Uma decisão positiva do tribunal sobre o princípio de compensação abriria caminho para processos individuais de indenização financeira por parte da fabricante.

A Volkswagen afirma desde o começo que este processo "não tem fundamentos".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.