Descrição de chapéu Balanços

Bolsa fecha acima dos 98 mil pontos apesar de queda de mais de 3% da Vale

Dólar sobe 0,27%, a R$ 3,6730

Tássia Kastner
São Paulo

A Bolsa brasileira ignorou o peso da Vale e fechou acima dos 98 mil pontos nesta segunda-feira (4). É a nova máxima histórica, alcançada em dia positivo também no mercado americano e com o início do ano no Congresso. O dólar avançou.

O Ibovespa, principal índice acionário do país, avançou 0,74%, a 98.588 pontos. O volume financeiro, de R$ 14 bilhões, foi menor que a média registrada no mês de janeiro.

Esta segunda marcou o início dos trabalhos no Congresso, após as eleições para presidente da Câmara e do Senado com viés favorável ao governo.

Rodrigo Maia (DEM-RJ), apoiador da reforma da Previdência, foi reeleito presidente da Câmara, enquanto o ministro Onyx Lorenzoni (DEM-RS) emplacou seu colega de partido, Davi Alcolumbre (AP) para a presidência do Senado, destronando Renan Calheiros (MDB).

Nesta segunda, Maia defendeu aos colegas da Câmara mudanças nas regras para a aposentadoria. "Devemos aprovar uma Reforma adequada às exigências de dinamização da nossa economia. Ao mesmo tempo, precisamos ter sensibilidade para evitar que o sacrifício imposto ao conjunto da população venha a ser demasiado, e injustamente distribuído", disse.

O recorde da Bolsa, segundo em dois pregões, foi alcançado apesar da queda de 3,4% da Vale, reflexo do fechamento de barragens da companhia por decisão da Justiça. A mina do Brucutu seria a mais afetada, com potencial de reduzir a produção em 30 milhões de toneladas por ano.

É mais uma medida judicial que afeta a empresa após o rompimento da barragem de Brumadinho (MG), que deixou 134 mortos e 199 desaparecidos até o momento.

O dólar subiu 0,27%, a R$ 3,6730, em dia negativo para moedas emergentes.


 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.