Descrição de chapéu Governo Bolsonaro Balanços

Bolsa cai 1% sem referência de NY e com incerteza pela demissão de Bebianno

O dólar avançou 0,75% e fechou cotado a R$ 3,7320

Tássia Kastner
São Paulo

Com o mercado americano fechado por feriado e a indefinição política em meio ao escândalo dos candidatos-laranjas do PSL no cenário doméstico, a Bolsa brasileira fechou a segunda-feira (18) em queda de 1% e o dólar subiu.

O Ibovespa, o principal índice acionário do país, perdeu 1,04%, a 96.509 pontos. O giro financeiro foi de R$ 17,2 bilhões, impulsionado pelo exercício de contratos de opções. Descontado o giro extra de R$ 7,7 bilhões, a Bolsa teve um dia fraco, reflexo da falta de referência do mercado internacional.

Quando as Bolsas americanas não abrem, a tendência é que investidores locais também fiquem mais cautelosos e façam menos negócios. Nesta segunda, os Estados Unidos celebram o dia do Presidente.

Além disso, persiste no mercado local a atenção no noticiário político, com a indefinição sobre a demissão do ministro Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral de Governo). A saída do até então aliado de Bolsonaro foi confirmada após o fechamento do mercado.

Bebianno está no epicentro da crise dos candidatos-laranjas do PSL, o partido do presidente Jair Bolsonaro, revelado pela Folha.

Analistas do mercado financeiro têm minimizado o impacto sobre o mercado e a aprovação da reforma da Previdência, o assunto mais importante para investidores.

O economista-chefe do banco no Brasil, Leonardo Porto, afirmou que a crise é relevante e precisa ser monitorada, mas não deve afetar a tramitação da reforma da Previdência.

Bebianno não é articulador político do governo e o definidor para a aprovação das novas regras para a aposentadoria deve ser a popularidade de Bolsonaro, que não deve ser arranha com o caso, avaliou.

Nesta segunda, a XP Investimentos escreveu que, após conversas com investidores americanos, persiste o otimismo geral com o Brasil, mas há ceticismo com a reforma da Previdência.

“A maioria acredita ser possível a aprovação da Reforma da Previdência até o terceiro trimestre, com um governo popular e um debate já maduro no Congresso, mas ressaltam que já viram retórica semelhante não se materializar tanto no governo Temer quanto em outros eventos similares ao redor do mundo, e ainda não parecem dispostos a tomar o risco”, disse a corretora em relatório.

O dólar avançou 0,75%, a R$ 3,7320, o pior desempenho entre as principais moedas emergentes nesta segunda.  

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.