PIB dos EUA cresce 2,9% em 2018

Crescimento econômico dos EUA desacelera menos que o esperado no 4º trimestre

Washington | Reuters

A economia dos Estados Unidos desacelerou menos do que o esperado no quarto trimestre em meio ao consumo e a gastos empresariais sólidos, deixando o crescimento de 2018 pouco abaixo da meta anual do governo de 3%.

O PIB cresceu a uma taxa anualizada de 2,6% no quarto trimestre, depois de expandir 3,4% no período entre julho e setembro. Em 2018, a economia cresceu 2,9%, no melhor desempenho desde 2015 e acima dos 2,2% vistos em 2017.

O relatório do PIB (Produto Interno Bruto) do Departamento de Comércio avaliou o impacto das políticas econômicas do presidente norte-americano, Donald Trump, incluindo a desregulamentação, os cortes de impostos, o maior gasto do governo e as tarifas que buscaram assegurar acordos comerciais mais favoráveis.

0
Linha de montagem de carros da Nissan, no Tennessee (EUA) - William DeShazer/Reuters

Trump elenca a economia como uma das maiores realizações de sua presidência e declarou em julho que seu governo havia "alcançado uma reviravolta econômica de proporções históricas".

Economistas consultados pela Reuters projetavam que o PIB cresceria 2,3% no quarto trimestre. A divulgação do relatório do PIB do quarto trimestre foi adiada por causa da paralisação parcial do governo que durou 35 dias e terminou em 25 de janeiro.

O Departamento de Comércio disse que, embora não possa quantificar os efeitos totais da paralisação, estima que a paralisação parcial tenha subtraído cerca de 0,1 ponto percentual do crescimento do PIB do quarto trimestre através de "uma redução nos serviços fornecidos por servidores federais e redução nas compras intermediárias de bens e serviços por agências que não são da área de defesa".

O departamento também afirmou que a estimativa de crescimento do PIB no quarto trimestre foi "baseada em dados incompletos ou sujeitos a nova revisão pela agência de origem".

Há sinais de que a economia desacelerou mais no início do primeiro trimestre, com a maior parte dos indicadores de manufatura tendo enfraquecido em janeiro e fevereiro.

A economia americana esfria à medida que os impulsos do corte tributário de US$ 1,5 trilhão pela Casa Branca e maior gasto do governo se dissipam. O crescimento também está sendo limitado por uma guerra comercial entre EUA e China. Segundo economistas, a disputa tem deixado os negócios e as famílias mais cautelosas quanto a gastos.

Os gastos do consumidor, que respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, aumentou a uma taxa ainda forte de 2,8% no quarto trimestre, de 3,5% no terceiro.

Os gastos empresariais em equipamento aceleraram no período sobre o terceiro trimestre, crescendo 6,7%. Os gastos vinham desacelerando desde o primeiro trimestre de 2018.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.