Descrição de chapéu Previdência Governo Bolsonaro

Reforma da Previdência pode ser aprovada em junho, diz Onyx

Afirmação foi feita a investidores, em evento em São Paulo

Taís Hirata
São Paulo

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que a reforma da Previdência poderá ser aprovada em junho pelo Congresso Nacional. 

"Se tudo correr bem, e Deus há de querer, em junho teremos aprovado nas duas Casas", afirmou nesta quarta-feira (27), a uma plateia de investidores, em um evento do banco BTG Pactual. 

O ministro admitiu a necessidade de negociação com os parlamentares, mas disse que a economia de R$ 1 trilhão em dez anos é inegociável. 

"[Essa é] a cláusula pétrea, isso nos dá condição de equilíbrio fiscal. [Para se chegar a isso], a gente pode compor", disse.

Em seu discurso, Onyx disse que a economia da atual proposta apresentada pelo governo era de quase R$ 1,4 bilhão em dez anos e que havia condições de se falar em "R$ 4 trilhões de economia em 20 anos". Na apresentação da reforma, porém, a economia prevista anunciada foi de R$ 1,072 trilhão. 

Em relação à negociação de cargos e emendas com os parlamentares, Onyx diz que "estão conversando" e que o Planalto sabe que "não recebeu uma folha em branco" e que a decisão caberá ao Legislativo. "O diálogo tem sido a marca que o presidente tem nos direcionado", afirmou. 

"Ontem houve uma importante reunião de líderes partidários com o presidente da República. Foi muito produtiva, os líderes fizeram uma análise muito objetiva e franca. Não tenho dúvida que depois do Carnaval ele vai botar o peito na água, porque é muito importante a presença dele nesse debate."

Para ele, a eleição de Davi Alcolumbre (DEM-AP) à presidência do Senado Federal e a derrota de Renan Calheiros (MDB-AL) são uma demonstração de força do governo do Legislativo. 

Onyx reafirmou que o envio da proposta para os militares ocorrerá "dentro de 30 dias". 

"Os militares assumiram um compromisso conosco. Eles deram a palavra que dentro de 30 dias apresentariam um projeto, nós vamos apresentar. Eles estarão 100% na nova Previdência, vão ampliar o tempo de contribuição, as pensionistas vão dar sua contribuição, que até hoje não dão. Vai haver um esforço significativo. Até junho, teremos todo mundo em um novo patamar."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.