Trump indica funcionário do Tesouro dos EUA para comandar Banco Mundial

Indicação de Malpass sinaliza que o governo Trump quer maior controle

Washington | Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira (7) que o Banco Mundial deve ser comandado por David Malpass. 

Funcionário do Tesouro norte-americano, Malpass é leal ao presidente norte-americano e crítico de instituições multilaterais. Ele prometeu promover reformas "pró-crescimento" na instituição global.

A indicação de Trump deverá ser votada pelo conselho executivo do Banco Mundial e pode gerar contestações dos 188 países acionistas da instituição.

00
Donald Trump durante discurso em que indicou David Malpass para a presidência do Banco Mundial - Reuters

Os Estados Unidos —principal acionista do banco com 16% do poder de voto— tradicionalmente escolhe o presidente do banco. O comandante da instituição que está deixando o posto, Jim Yong Kim, porém, chegou a enfrentar concorrentes da Colômbia e da Nigéria em 2012.

A indicação de Malpass sinaliza que o governo Trump quer maior controle sobre o Banco Mundial.

"Ele lutou para garantir que o financiamento esteja concentrado em lugares e projetos que realmente precisam de ajuda, incluindo pessoas vivendo na extrema pobreza", disse Trump ao anunciar sua escolha na Casa Branca ao lado de Malpass.

Atualmente subsecretário do Tesouro para assuntos internacionais, Malpass criticou o Banco Mundial e outras instituições multilaterais por terem ficado maiores, mais "intrusivas" e "entricheiradas". Ele também critica o banco por continuar emprestando à China, país que ele vê como muito rico para receber tal ajuda.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.