Após falar com Guedes, deputado diz que votação da Previdência será em abril

Felipe Francischini, presidente da CCJ, se reuniu com ministro na noite de terça

Thiago Resende Angela Boldrini
Brasília

Após reunião com o ministro Paulo Guedes (Economia), o presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara, Felipe Francischini (PSL-PR), informou que a proposta de reforma da Previdência deve ser votada no colegiado até 17 de abril.

Guedes, de acordo com o deputado, deve participar de debate na CCJ na próxima semana —quarta-feira (3)— para defender a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que endurece as regras de aposentadorias.

O ministro deveria ter ido à comissão nesta terça (26), mas cancelou o compromisso horas antes do início da sessão.

Irritados com a falta de diálogo com o governo, deputados de partidos independentes ao Palácio do Planalto têm atrasado a tramitação da PEC, que ainda não tem relator.

“O atraso se dá em decorrência dos acontecimentos das últimas semanas”, disse Francischini.

 

Após cancelar a ida à CCJ, Guedes enviou o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho.

Membros da CCJ não aceitaram a troca. Com isso, a sessão foi cancelada sem que Marinho pudesse falar.

Diante da crise, Francischini se reuniu com Marinho na Câmara e, depois, foi ao Ministério da Economia se encontrar com Guedes e fechar um calendário para destravar a PEC da reforma da Previdência.

A CCJ é a primeira etapa da proposta. Depois, ela irá para uma comissão especial. Por fim, será votada, em dois turnos, no plenário da Câmara. Se obtiver aval,  a PEC segue para o Senado.
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.