Após falar com Guedes, deputado diz que votação da Previdência será em abril

Felipe Francischini, presidente da CCJ, se reuniu com ministro na noite de terça

Brasília

Após reunião com o ministro Paulo Guedes (Economia), o presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara, Felipe Francischini (PSL-PR), informou que a proposta de reforma da Previdência deve ser votada no colegiado até 17 de abril.

Guedes, de acordo com o deputado, deve participar de debate na CCJ na próxima semana —quarta-feira (3)— para defender a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que endurece as regras de aposentadorias.

O ministro deveria ter ido à comissão nesta terça (26), mas cancelou o compromisso horas antes do início da sessão.

Irritados com a falta de diálogo com o governo, deputados de partidos independentes ao Palácio do Planalto têm atrasado a tramitação da PEC, que ainda não tem relator.

“O atraso se dá em decorrência dos acontecimentos das últimas semanas”, disse Francischini.

 

Após cancelar a ida à CCJ, Guedes enviou o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho.

Membros da CCJ não aceitaram a troca. Com isso, a sessão foi cancelada sem que Marinho pudesse falar.

Diante da crise, Francischini se reuniu com Marinho na Câmara e, depois, foi ao Ministério da Economia se encontrar com Guedes e fechar um calendário para destravar a PEC da reforma da Previdência.

A CCJ é a primeira etapa da proposta. Depois, ela irá para uma comissão especial. Por fim, será votada, em dois turnos, no plenário da Câmara. Se obtiver aval,  a PEC segue para o Senado.
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.