Avianca Brasil interrompe voo para Miami porque foi impedida de sobrevoar Cuba

Foi preciso pousar porque não havia pago taxa de sobrevoo; empresa também atrasa salários

Joana Cunha
São Paulo

A Avianca Brasil precisou fazer um pouso técnico durante um voo de Guarulhos para Miami nesta quinta-feira (7) porque deixou de pagar taxa de sobrevoo do espaço aéreo de Cuba, ficando impedida de atravessar a ilha.

A empresa está em recuperação judicial e, também nesta quinta-feira, divulgou um comunicado sobre atraso de pagamento de funcionários. 

Sem poder sobrevoar Cuba no voo para Miami, o avião teria de contornar a ilha, mas o tanque de combustível não seria suficiente porque isso aumentaria o trajeto. Foi necessário, portanto, pousar em Porto Rico para abastecer. 

O pouso, no entanto, elevou o tempo de serviço da tripulação e bateu o limite de horas de trabalho permitido para pilotos e comissários em voos. 

Check-in da Avianca - Xinhua/Rahel Patrasso


Quando o tempo de serviço é excedido, a tripulação precisa fazer descanso de 12 horas antes assumir um novo voo. 

A solução foi pernoitar no local para dar o descanso exigido pela legislação. 

Em nota, a Avianca Brasil afirma que "o voo O68512, que partiu do aeroporto internacional de São Paulo, em Guarulhos, nesta quinta-feira (7), às 9h00, com destino ao aeroporto internacional de Miami, fez um pouso técnico em San Juan (Porto Rico)". 

A companhia aérea afirma que acomodou os passageiros devidamente em hotéis. 

"A companhia reforça que está prestando todo o suporte e assistência aos seus passageiros, trabalha para reduzir ao máximo o incômodo causado pela ocorrência e para que todos cheguem o mais breve possível no destino", disse em comunicado.   

A Avianca Brasil está em recuperação judicial desde dezembro passado e luta para manter sua frota em uma disputa com empresas arrendadoras, que exigem a devolução de parte dos aviões.  

Em outro comunicado, a companhia aérea afirmou que nessa quinta-feira realizou o pagamento dos salários de fevereiro para cerca de 1.400 trabalhadores. Disse também que está priorizando os profissionais de menor remuneração.

"Os demais [funcionários] foram comunicados sobre o atraso e a empresa trabalha para que seu pagamento aconteça o mais rápido possível”, diz a Avianca Brasil, em nota. 
 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.