Descrição de chapéu Previdência

Deputado youtuber defende 'dar a cara a tapa' por reforma da Previdência

Com 421 mil seguidores, Vinicius Poit é um dos principais defensores da medida nas redes sociais

Luciano Máximo
São Paulo

O deputado federal Vinicius Poit (Novo-SP), 33, desponta como um dos maiores defensores da reforma da Previdência nas redes sociais.

Desde o envio da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) à Câmara, o congressista de primeiro mandato vem martelando o assunto diariamente em todos os seus canais digitais, sem economizar nos termos “a mamata vai acabar”, “corte na carne” e “fim de privilégios”.

Embora não seja uma estrela das redes sociais (tem 421 mil seguidores no Facebook contra mais de 2 milhões da líder do governo, Joice Hasselmann, do PSL paulista, por exemplo), Poit defende que os deputados favoráveis à reforma têm que começar a “dar a cara a tapa”.

“Quem é contra a reforma está falando todo dia. Já quem é a favor não está falando muito. Paira no ar uma ideia de estigma, uma lembrança dos políticos que apoiaram a reforma trabalhista e sofreram nas eleições. Eles estão preocupados com os votos ou com o Brasil? Eu não tenho medo de falar”, diz Poit.

Na semana passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que as redes sociais podem ter papel decisivo na discussão e tramitação do tema.

Em recente vídeo com gráficos, ilustrações e animações, que teve mais de 110 mil visualizações e 10 mil compartilhamentos no Facebook, o deputado do Novo de São Paulo aponta o que chamou de cinco fake news sobre a reforma da Previdência que, segundo ele, são táticas de contrainformação da oposição para retardar o processo de aprovação da medida.Entre as mentiras apontadas por ele, está argumento de que

o deficit previdenciário não existe. Poit se engajou nas repercussões do vídeo e interagiu com a maioria dos mais de 600 usuários que postaram comentários na publicação.

Do lado da oposição, a deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP), 29, conta que seu partido também vai investir na guerra de informação digital com a situação para tentar barrar a PEC.

Segundo ela, tratar essa guerra de versões será um desafio para a esquerda. “A direita mostrou que utiliza melhor essas ferramentas, mas estamos pensando nisso”, afirma.

A deputada diz que, já estão planejando trabalhar com memes, gráficos, ilustrações, vídeos temáticos, correntes de aplicativos de mensagens e publicações impulsionadas para combater a reforma da Previdência.

“Temos que ser mais dinâmicos e ampliar o alcance das nossas mensagens para jovens, mulheres, não ficar só nos setores tradicionais da esquerda”, diz.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.