Google vai oferecer consultoria para o varejo a partir de dados de buscas

Companhia diz que plataforma teve impacto de R$ 41 bilhões no Brasil em 2018

Filipe Oliveira
São Paulo

O Google vai intensificar o uso das informações geradas pelas pesquisas em seu buscador para oferecer serviços de consultoria para o varejo.

A empresa já fazia esse monitoramento de tendências de buscas durante a Black Friday, principal data de promoções do comércio eletrônico, realizada em novembro.

Agora o serviço ficará disponível durante todo o ano. A expectativa é que ele seja usado principalmente em datas sazonais, como dia das mães, dos namorados e Natal.

Nele, a companhia fornece painéis nos quais combina dados como produtos mais procurados, onde foram feitas as buscas, preço do item em diferentes lojas, posição dos produtos da empresa nas buscas e cliques recebidos.

00
Google passa a oferecer pesquisa baseadas nos seus dados de buscas - AFP

As informações são analisadas por sistema de inteligência artificial que, junto a equipe de especialistas, identifica padrões.

É possível assim descobrir que a busca por aparelhos de ar-condicionado aumenta quatro vezes quando a temperatura atinge os 30 graus, diz Diego Venturelli, gerente de insights para varejo do Google Brasil.

Segundo ele, são usados apenas dados agregados, nunca de um único indivíduo. Informações como gênero, idade e outros interesses dos usuários também não são levadas em conta nesse serviço.

Entre as companhias que usam o monitoramento na Black Friday estão Magazine Luiza, Grupo Pão de Açúcar, Carrefour, B2W, Via Varejo  e Mercado Livre.

A iniciativa foi desenvolvida na unidade brasileira da companhia é está sendo apresentada a outros escritórios do Google mundo afora, diz Venturelli.

Nesta segunda-feira o Google também divulga um relatório afirmando que seu impacto econômico no Brasil em 2018 foi de R$ 41 bilhões.

O cálculo, feito com metodologia desenvolvida pelo economista-chefe da empresa, Hal Varian,  leva em conta o retorno sobre o investimento feito pelas empresas clientes que anunciam na plataforma de buscas, somado ao que é pago a produtores de conteúdos que recebem anúncios em seu site  pelo serviço AdSense e doações de créditos para ONGs.

No total, 60 mil organizações foram impactadas pelos serviços do Google em 2018, segundo a companhia.

A empresa não informa quanto desse impacto econômico vem de cada serviço.

Para o retorno sobre investimento, foi considerado que, a cada real aplicado nas buscas, a empresa anunciante teria um ganho de, em média, R$ 8 (levando em conta cliques nos anúncios e quando é encontrada sem depender deles).

Marcelo Lacerda, diretor de relações institucionais do Google Brasil, diz acreditar que ainda há espaço para crescimento, em especial quando se considera o mercado de pequenas e médias empresas.

"Sabemos 40% delas não têm presença online".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.