Votorantim troca comando do conselho de administração

Raul Calfat será substituído por Eduardo Mazzilli de Vassimon, que vem do mercado financeiro

São Paulo

A Votorantim anunciou nesta terça-feira (26) a saída do atual presidente do conselho de administração do grupo, Raul Calfat. O executivo está na companhia há 27 anos e comanda o conselho do grupo desde 2014. 

Ele será sucedido por Eduardo Mazzilli de Vassimon, que saiu do grupo Itaú-Unibanco no fim do ano passado após atingir a idade-limite para administradores prevista no estatuto da empresa. Ao sair, ele deixou o cargo de presidente do Itaú BBA e diretor-geral do banco de atacado do grupo. 

Vassimon assumirá o cargo em maio, após um período de transição em abril.

Eduardo Vassimon, que assumirá o conselho de administração da Votorantim em maio
Eduardo Vassimon, que assumirá o conselho de administração da Votorantim em maio - Bruno Poletti/Folhapress

Após a saída da Votorantim, Calfat continuará atuando no conselho de outras companhias. Hoje, ele é presidente do conselho do Laboratórios Aché, membro independente dos conselhos da Duratex e da Embraer e conselheiro do Hospital Sírio Libanês.

O executivo havia entrado na companhia em 1992, com a aquisição da companhia de celulose Papel Simão. Participou da criação da VCP (Votorantim Celulose e Papel) e, posteriormente, da Fibria —fruto da fusão entre a VCP e a Aracruz. A empresa, que hoje é a maior produtora de celulose do mundo, foi vendida à Suzano. 

Antes de assumir o comando do conselho, Calfat também atuou em diversas áreas do grupo, como a Votorantim Industrial e na própria holding.

A troca no comando ocorre um ano após o centernário do grupo e em meio a uma tentativa de ampliar sua diversificação. Hoje, a geração de caixa da empresa ainda está muito atrelada a empresas de mineração, alumínio e cimento, áreas mais expostas a variações cambiais e de preços de matérias-primas.

Após vender a empresa de celulose Fibria, a companhia anunciou a intenção de investir mais em setores como geração de energia elétrica e mercado imobiliário, cuja geração de caixa é mais regular.

No fim do ano passado, a empresa, em consórcio com um fundo de pensão canadense, venceu o leilão pelo controle da Cesp (Companhia Energética de São Paulo). 

Além disso, há rumores de que o grupo planeja abrir o capital do Banco Votorantim nos próximos anos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.