Petrobras aumenta preço da gasolina em 3,5% nas refinarias

O reajuste é de R$ 0,07 por litro e passa a valer a partir de quarta-feira

Nicola Pamplona
Rio de Janeiro

A Petrobras anunciou nesta segunda (29) reajuste médio de 3,5% no preço da gasolina vendida em suas refinarias. É o terceiro aumento no mês, acompanhando a elevação das cotações internacionais do produto.

Segundo a estatal, o reajuste é de R$ 0,07 por litro. A partir desta quarta (30), o litro da gasolina nas refinarias da empresa custará, em média, R$ 2,045. 

O repasse aos postos, porém, depende de variáveis como impostos e margens de lucros de postos e distribuidoras. A gasolina vendida pela Petrobras representa 32% do preço final do combustível.

É a primeira vez desde outubro de 2018, que a gasolina é vendida pela Petrobras por valor acima de R$ 2.

Em 2019, o preço do combustível nas refinarias da estatal acumula alta de 35,5%.

Nos postos, porém, a alta é menor, de 3,7%, de acordo com dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis). Na semana passada, o litro da gasolina foi vendido, em média no país, a R$ 4,504.

Segundo cálculos do setor, a defasagem nos preços internos da gasolina já superava os R$ 0,10 por litro em todos os principais pontos de importação do combustível no país - em Itaqui, na Bahia, já chegava a R$ 0,22 por litro.

Há preocupação entre as importadoras de combustíveis com a manutenção de defasagens no preço, que costuma subir nesta época do ano com a proximidade do verão no Hemisfério Norte - o consumo costuma disparar durante as férias nos Estados Unidos.

O preço do diesel foi mantido inalterado. O último reajuste no preço do combustível foi feito pela Petrobras no último dia 18, de 4,8%. A medida foi tomada seis dias após recuo em aumento de 5,7% após telefonema do presidente Jair Bolsonaro ao presidente da estatal, Roberto Castello Branco.

A suspensão do aumento gerou alertas sobre interferência política na gestão da companhia e derrubou as ações no dia seguinte, levando a empresa a perder R$ 32 bilhões em valor de mercado.

Na sexta (26), a Petrobras anunciou planos de vender 8 de suas 13 refinarias, transferindo à iniciativa privada 50% da capacidade de refino do Brasil. A companhia espera levantar cerca de US$ 15 bilhões (R$ 60 bilhões) com as refinarias.

Se vender todas, a Petrobras manterá operações de refino apenas no Rio e em São Paulo. Todas as unidades localizadas em outros estados foram incluídas na lista.

Nesta segunda (29), representantes da estatal estiveram no Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para apresentar o plano. A área técnica do órgão de defesa da concorrência havia criticado o modelo anterior —que previa a venda de dois grandes polos de refino— e sugeriu que a empresa se desfizesse de uma unidade em São Paulo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.