Descrição de chapéu The New York Times

Pinterest modera expectativas com aproximação de oferta inicial

Valor de mercado da companhia ficou R$ 3,85 bilhões menor após primeira proposta de ações

Nova York | The New York Times

De acordo com a mais recente proposta do Pinterest quanto ao preço das ações em sua oferta pública inicial, o valor de mercado da empresa fica abaixo dos US$ 12 bilhões (R$ 46,3 bilhões) estimados no mercado de capital privado, o que desperta questões sobre a demanda dos investidores por empresas de tecnologia proeminentes — mas deficitárias — que estão correndo para chegar ao mercado de ações.

Na última segunda-feira (8), o Pinterest atualizou seu prospecto quanto à oferta inicial de ações da empresa e anunciou uma faixa de preços entre US$ 15 e US$ 17 (R$ 58 e R$ 65,7).

No extremo superior dessa faixa, a companhia, que oferece painéis digitais para arquivo de imagens, teria valor de mercado de cerca de US$ 11,3 bilhões (R$ 43,7 bilhões), consideradas as opções de ações já concedidas e as ações restritas em circulação. A empresa foi avaliada em US$ 12 bilhões (R$ 46,3 bilhões) em 2015, e voltou a ser avaliada pela mesma quantia em 2017, por empresas de capital para empreendimentos e outros investidores privados.

A faixa de preços anunciada para o Pinterest modera o fervor quanto à onda de ofertas públicas iniciais de ações de empresas de tecnologia este ano, que prometia gerar muita riqueza nova no Vale do Silício. Ela se segue à oferta pública inicial do serviço de carros Lyft, uma empresa profundamente deficitária, no mês passado. Embora a oferta inicial tenha atraído muita atenção e as ações da Lyft tenham subido em seu primeiro dia no mercado, já no segundo dia elas haviam caído para menos que o preço de oferta, e a companhia está enfrentando questões sobre seus negócios.

AFP

"As pessoas estão acompanhando o que vem acontecendo no caso da Lyft e percebem que, mesmo que o 'roadshow' [apresentação a investidores] tenha ido muito bem e que haja forte demanda, é preciso cuidado para não estipular preço de oferta inicial alto demais", disse Elliot Lutzker, sócio do escritório de advocacia Davidoff Hutcher & Citron.

Ele acrescentou que os investidores estavam mais preocupados com os fundamentos da empresa. "Nem toda a companhia é a Amazon e pode arcar com anos e anos de prejuízo enquanto cresce", ele disse.

O desempenho da Lyft e do Pinterest em suas ofertas iniciais de ações será crucial para os preparativos da abertura de capital da Uber, a maior empresa de startups de tecnologia de sua geração. A Uber deve abrir seu capital dentro de alguns meses, e sua avaliação atual é de US$ 120 bilhões (R$ 464 bilhões), o que significaria a maior oferta pública inicial de ações já realizada por uma empresa dos Estados Unidos.

Diversas companhias menores também estão planejando ofertas iniciais, entre as quais a Zoom, que oferece serviços de videoconferência; a PagerDutty, que produz software; e a Slack, que provê serviços de comunicação para escritórios.

O novo prospecto apresentado na segunda-feira pelo Pinterest coincidiu com o início do "roadshow" da companhia, durante o qual ela pretende apresentar seus planos aos investidores institucionais antes de fechar o valor definitivo de sua oferta inicial e o dia em que as ações entrarão no mercado. Se houver demanda alta da parte dos investidores nos próximos dias, a empresa pode determinar preço mais alto para suas ações.

Pelo preço médio da faixa de flutuação estipulada, a empresa arrecadaria cerca de US$ 1,2 bilhão (R$ 4,64 bilhões) de investidores no mercado aberto. O Pinterest tem reservas de caixa de US$ 628 milhões (R$ 2,4 bilhões).

Fotos em mural de cortiça, no mural virtual do site Pinterest - Isadora Brant/Folhapress

Se o Pinterest abrir seu capital por valor inferior ao de sua mais recente avaliação no mercado privado, não seria a primeira vez que isso acontece, nessa geração de startups muito valorizadas. A companhia de armazenagem em nuvem Box abriu seu capital em 2015 estipulando seu valor de mercado em US$ 1,6 bilhão (R$ 6,2 bilhões), abaixo de sua avaliação de US$ 2,4 bilhões (R$ 6,2 bilhões) no mercado de capital privado. A empresa agora tem capitalização de mercado de US$ 2,8 bilhões (R$ 10,8 bilhões). A companhia de pagamentos Square, que tinha avaliação de US$ 6 bilhões (R$ 23,2 bilhões) no mercado privado, abriu seu capital em 2015 com valor de US$ 2,9 bilhões (R$ 11,2 bilhões). Sua capitalização de mercado atual é de US$ 31 bilhões (R$ 120 bilhões).

No total, investidores privados já investiram US$ 1,5 bilhão (R$ 5,8 bilhões) no Pinterest. Se a empresa lançar ações e sua capitalização de mercado ficar abaixo dos US$ 12 bilhões (R$ 46,4 bilhões), isso poderia representar prejuízo para os participantes nas rodadas de capitalização mais recentes.

Mas os primeiros investidores na empresa podem desfrutar de lucros imensos. No prospecto atualizado, o Pinterest revela as participações de seus maiores investidores, que incluem empresas de capital para empreendimentos como a Bessemer Venture Partners, FirstMark Capital e Andreessen Horowitz. Pelo valor médio proposto na oferta de ações, a participação da Bessemer valeria US$ 952 milhões (R$ 3,67 bilhões), a da FirstMark valeria US$ 710 milhões (R$ 2,7 bilhões) e a da Andreessen seria de US$ 696 milhões (R$ 2,7 bilhões).

O maior acionista individual é Ben Silbermann, 36, cofundador e presidente-executivo do Pinterest. Ele é dono de 11,4% das ações da empresa, em valor de US$ 825 milhões (R$ 3,2 bilhões) pelo preço médio proposto. Evan Sharp, 36, outro dos cofundadores e vice-presidente de design e criação da empresa, detém 2,1% das ações.

AFP

O Pinterest, que cria quadros digitais nos quais as pessoas podem armazenar imagens e links encontrados na web, decolou em 2011. Os "pinners", como seus usuários são conhecidos, criam painéis sobre interesses, por exemplo a culinária, eventos e hobbies. Silbermann, que adotou uma postura conservadora quanto a investir no crescimento de seu negócio, buscou expandir o Pinterest lentamente. A empresa começou a vender publicidade em 2014. Os métodos de Silbermann contrastam com os de outros dos empreendedores que lideram as empresas conhecidas como unicórnios, aquelas que obtêm avaliações superiores a US$ 1 bilhão (R$ 3,86 bilhões) da parte de investidores privados. Essas companhias em geral priorizam o crescimento rápido e não o lucro, e demoram anos para abrir seu capital. Se uma empresa conhecida como "unicórnio" é vendida ou realiza oferta pública inicial com valor inferior à sua avaliação de mercado, ela é definida como um "undercorn".

Como outras dessas empresas, o Pinterest está no vermelho. Mas a companhia, que gera receita com publicidade, queima menos caixa que a Lyft e Uber. Em março, o Pinterest revelou prejuízo de US$ 63 milhões (R$ 243 milhões) sobre faturamento de US$ 718 milhões (R$ 2,8 bilhões) em 2018. O Pinterest também vem crescendo rapidamente, e reportou crescimento de receita de 60% de 2017 para 2018.

A empresa negociará suas ações na Bolsa de Valores de Nova York, sob o código PINS.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.