Agrishow cresce, mas menos que o esperado

Segundo organização, foram fechados R$ 2,9 bi em intenções de negócios, 6,4% a mais que 2018

Ribeirão Preto

A Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação), que termina nesta sexta-feira (3) em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), bateu novo recorde de vendas de máquinas e equipamentos agrícolas, mas o crescimento ficou abaixo do esperado.

De acordo com a organização, foram fechados R$ 2,9 bilhões em intenções de negócios, o que representa 6,4% a mais que os R$ 2,7 bilhões de 2018, mas abaixo da previsão para este ano, que era de R$ 3 bilhões.

O maior crescimento percentual foi registrado no setor de irrigação, com alta de 35% nos negócios. Já o segmento de armazenagem caiu 13% em relação ao ano passado.

A feira, iniciada na última segunda-feira (29), reuniu 159 mil visitantes. 

Fazendeiros observam equipamento durante Agrishow, em Ribeirão Preto
Fazendeiros observam equipamento durante Agrishow, em Ribeirão Preto - Marcelo Teixeira/Reuters

“Com a agricultura 4.0, vivemos uma verdadeira revolução, por meio da robótica, inteligência artificial e internet das coisas que, embarcadas nas máquinas e implementos, estão mudando significativamente o cotidiano do agronegócio e a produtividade no campo”, disse João Carlos Marchesan, presidente da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos).

Algumas marcas conseguiram vendas acima da média de crescimento da feira agrícola, como a John Deere, que teve crescimento de cerca de 20% em relação à edição do ano passado.

De acordo com Rodrigo Bonato, diretor de vendas da John Deere, o crescimento se deve a uma estratégia adotada pela marca desde o ano passado. “Lançamos o conceito da conectividade rural. Ao lançar na Agrishow passada, já tínhamos intenção de trazer para a edição deste ano os equipamentos também conectados. Essa estratégia de dois anos seguidos poder ter a conectividade para viabilizar o uso dos equipamentos que seriam lançados na edição atual nos garantiu o bom desempenho deste ano”, disse.

Já a Komatsu vendeu até o início da tarde desta sexta 49 máquinas –como carregadeiras de rodas–, ante as 33 comercializadas no ano passado, alcançando cerca de R$ 25 milhões em negócios.

A Agrosystem, que lançou uma plataforma que oferece previsões meteorológicas de alta precisão para as próximas 72 horas, teve crescimento de 30% em relação ao ano passado.

A próxima Agrishow está marcada para o período de 27 de abril a 1º de maio do ano que vem.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.