Dona do Johnnie Walker amplia licença paternidade de funcionários para seis meses

Empresa afirma querer estimular participação de homens na criação de filhos e garantir oportunidades iguais para todos

Filipe Oliveira
São Paulo

A Diageo, dona das marcas Johnnie Walker, Ypióca e Smirnoff, passará a conceder licença paternidade de 26 semanas (cerca de seis meses) para seus funcionários.

A medida faz parte de decisão global da companhia.

A nova política vale para homens e mulheres de todos os departamentos da empresa, segundo Tatiana Sereno, diretora de recursos humanos da empresa para o Brasil, Paraguai e Uruguai.

Segundo ela, a ação faz parte de busca que a companhia vem realizando há dois anos para ampliar a diversidade e a equidade de gênero.

Ela diz que ampliar a licença para homens incentiva eles a assumirem seu papel correto da paternidade.

"Queremos pais mais participativos, pois, por trás de toda mulher empoderada, existe um super parceiro ou uma super parceira."

Ela explica que a medida também passa a incluir filhos de casais homoafetivos, que antes tinham o período de licença limitado a 20 dias.

Sereno afirma que estimular homens a tirarem uma licença maior também é importante para facilitar o crescimento de mulheres no mercado.

Quando ambos estão em igualdade de condições, tendo o mesmo período de licença assegurado, a contratação de mulheres passa a não ser vista como mais custosa, diz.

 
0
Garrafas do uísque Johnnie Walker, fabricado pela Diageo - Alessandro Shinoda/Folhapress

Ela explica que nenhum funcionário é obrigado a tirar o período completo da licença, mas a empresa irá estimular a prática.

Sobre custos da nova medida, que envolve pagar o salário integral do funcionário que ficará em casa com o filho, ela diz que o retorno virá de um maior engajamento dos profissionais com a empresa e pela maior possibilidade de atração e retenção de bons profissionais.

"Pessoas se sentindo mais completas e respeitadas terão um retorno melhor."

A Diageo conta com cerca de 900 funcionários no Brasil.

O escritório da empresa em São Paulo tem 350 funcionários, sendo 49% mulheres e 51% homens Dos cargos de liderança da empresa, 50% são ocupados por mulheres, informa a companhia.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.