Descrição de chapéu Financial Times

Natura teria 76% da nova empresa formada com Avon, diz jornal

Empresa brasileira poderia expandir internacionalização por Ásia Europa e América Latina.

James Fontanella-Khan
Londres | Financial Times

A Natura Cosméticos, companhia brasileira que controla a The Body Shop, fechou acordo para adquirir a Avon Products em uma transação a ser paga totalmente em ações e que avalia a companhia americana em mais de US$ 2 bilhões (R$ 8 bilhões), de acordo com pessoas diretamente informadas sobre o assunto.

A companhia sediada em São Paulo deteria cerca de 76% do grupo combinado, e as demais ações ficariam em poder dos acionistas da Avon, disseram as fontes.

A transação proposta, que está sendo negociada há meses, seria anunciada na manhã de quarta-feira, disse uma das fontes.

Linha de produção da Natura em Cajamar, no interior de São Paulo
Linha de produção da Natura em Cajamar, no interior de São Paulo - Eduardo Knapp/Folhapress

A Avon vem enfrentando dificuldades nos últimos anos, e em janeiro teve de cortar 2,3 mil trabalhadores. A capitalização de mercado da companhia com ações cotadas na bolsa de valores de Nova York caiu dramaticamente e era de cerca de US$ 1,4 bilhão, pela cotação de suas ações no fechamento da terça-feira.

A companhia que foi pioneira do modelo de venda direta ficou para trás de marcas rivais de cosméticos, que se adaptaram mais rápido a um mercado desordenado pela mídia social.

A companhia, sediada em Londres, perdeu mercado para concorrentes mais ágeis como a Sephora, do grupo LVMH, Estée Lauder L'Oréal.

O setor de beleza vem prosperando, com milhões de adolescentes primeiro vasculhando o Instagram em busca de novos produtos e mais tarde adquirindo os produtos assim descobertos, seja online seja em lojas físicas.

A Natura, que vinha buscando oportunidades de expansão internacional, acredita que possa mudar a sorte da companhia americana conhecida historicamente por suas "Avon Ladies", que vendiam produtos de porta em porta. Ao adquirir a Avon, a Natura poderá estender sua expansão internacional, especialmente na Ásia. Europa e América Latina.

Três anos atrás, a Avon decidiu promover a cisão de suas operações na América do Norte, controladas pelo grupo de capital privado Cerberus Capital. A empresa assim criada assumiu US$ 230 milhões em passivos de longo prazo da Avon, o que facilitou a venda da companhia à Natura.

O grupo sul-americano adquiriu a The Body Shop em 2017, da L'Oréal, e vinha e concentrando em expandir a presença mundial da cadeia britânica de varejo.

A Natura, que também controla a marca Aesop, na Austrália, foi fundada por Luiz Seabra em 1969 e é conhecida por ser uma das empresas mais sustentáveis do planeta. Boa parte de seus insumos são adquiridos da Amazônia, onde ela trabalha em estreito contato com povos indígenas e agricultores locais.
 
Financial Times, tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.