Descrição de chapéu The Wall Street Journal

Plano de reestruturação da Ford eliminará 7.000 postos de trabalho

Reduções incluirão 800 demissões na América do Norte, onde a montadora já promoveu 1,5 mil desligamentos voluntários

Mike Colias
Nova York | The Wall Street Journal

A Ford anunciou que eliminará sete mil postos de trabalho executivos e administrativos, ou cerca de 10% de sua força de trabalho de colarinho branco, como parte do plano mais amplo do presidente-executivo Jim Hackett para revitalizar a montadora.

Em email enviado ao pessoal da empresa na segunda-feira (20), Hackett disse que o plano de corte incluía algumas demissões, voluntárias ou não, que já ocorreram, e que o processo será concluído em agosto. Os cortes reduzirão os custos da empresa em cerca de US$ 600 milhões (R$ 2,4 bilhões) ao ano, e são parte de uma reestruturação mais ampla, plurianual, para a qual a empresa terá de constituir US$ 11 bilhões em provisões para custos.

As reduções incluirão 800 demissões na América do Norte, onde a Ford já implementou um plano de desligamento voluntário que reduziu seus quadros em 1,5 mil pessoas, disse um porta-voz da empresa.

A Ford sinalizou no ano passado que havia começado um reordenamento mundial de sua força de trabalho que poderia resultar em demissões. Hackett assumiu o comando executivo da empresa dois anos atrás e vem trabalhando em um plano de recuperação que, segundo ele, tornará a Ford mais ágil, em meio às mudanças que vêm abalando o setor automobilístico. Elas incluem a ascensão dos carros autoguiados e da tecnologia para propulsão elétrica, e novos modelos de negócios que podem reduzir a propriedade de veículos privados.

"Para obter sucesso em nosso setor competitivo e posicionar a Ford para vencer em um futuro no qual as mudanças serão rápidas, precisamos reduzir a burocracia, aumentar o poder dos gestores, acelerar as decisões, concentrar nosso esforço no trabalho mais valioso, e cortar custos", escreveu Hackett no email.
 
The Wall Street Journal, tradução de Paulo Migliacci

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.