Descrição de chapéu Financial Times

Apple muda produção do Mac Pro para a China

Transferência de computador de US$ 6.000, até então montado nos EUA, é símbolo da guerra comercial entre países

San Francisco | Financial Times

A Apple transferiu a produção de seu computador de ponta Mac Pro dos Estados Unidos para a China, apesar da ameaça do presidente Donald Trump de outra rodada de tarifas sobre importações de eletrônicos do país asiático.

Até agora, o Mac Pro era o único computador da empresa que tinha a montagem final nos Estados Unidos.
 
A mudança na produção, que noticiada pela primeira vez pelo jornal The Wall Street Journal, acontece quando a Apple tenta dar nova vida ao produto, que foi relançado no mês passado com preço a partir de US$ 5.999 (R$ 23 mil) e um novo visual de “ralador de queijo”.

A Apple se recusou a confirmar a decisão, mas minimizou a importância de deslocar a montagem final de um de seus produtos. 

Segundo a empresa, o Mac Pro foi “desenhado e projetado na Califórnia, e contém peças de vários países, inclusive dos Estados Unidos”. Acrescentou que em 2018 pagou US$ 60 bilhões (R$ 231 bilhões) a fornecedores nos EUA, apoiando 2 milhões de empregos.

Mac Pro da Apple na Worldwide Developer Conference
Mac Pro da Apple na Worldwide Developer Conference - AFP
A montagem final representa uma pequena parte do valor de uma máquina, mas tem maior importância política e simbólica. Trump defendeu a ideia de a Apple mudar a montagem do iPhone para os EUA, por exemplo. 

O presidente da Apple, Tim Cook, anunciou em 2012 que a empresa levaria a montagem final da linha Mac da China para os EUA, juntamente com um investimento de US$ 100 milhões (R$ 385  milhões) para apoiar a mudança.

Colocar a produção do Mac Pro de volta na China acontece num momento em que a Apple, assim como outras empresas americanas de eletrônicos, tem procurado formas de diversificar sua cadeia de suprimentos para reduzir a dependência da fabricação lá. 

A empresa pediu a seus fornecedores na China que analisem as implicações de custos de transferir de 15% a 30% de sua capacidade para outros países.

Tradução de Luiz Roberto M. Gonçalves
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.