Dívida pública federal cresce 0,3% em maio, para R$ 3,89 trilhões

Montante da conta deve fechar o ano entre R$ 4,1 trilhões a R$ 4,3 trilhões

Danielle Brant
Brasília

A dívida pública federal, que inclui dívida interna e externa, cresceu 0,31% em maio em relação a abril e alcançou R$ 3,89 trilhões, informou o Tesouro Nacional nesta quarta-feira (26).

A dívida pública interna subiu 0,32%, para R$ 3,735 trilhões, enquanto a externa ficou praticamente estável, com leve aumento de 0,16%, a R$ 155,54 bilhões. A correção de juros foi de R$ 28,47 bilhões.

Mãos de boneco seguram cédulas de real
Dívida pública federal alcançou R$ 3,89 trilhões em maio - Gabriel Cabral - 27.fev.2019/Folhapress

Segundo o Plano Anual de Financiamento de 2019, a dívida pública deve encerrar o ano dentro da faixa que vai de R$ 4,1 trilhões a R$ 4,3 trilhões.
  
Por tipo de título, a fatia de prefixados subiu de 30,16% em abril para 31,27% em maio, dentro da faixa estipulada pelo Tesouro, que vai de 29% a 33%.
 
Já a participação de papéis atrelados à Selic subiu de 36,95% para 37,88%, ainda levemente abaixo do intervalo de 38% a 42% estabelecido pelo Tesouro. E os títulos atrelados à inflação recuaram de 28,7% em abril para 26,67% em maio – a fatia deve se situar entre 24% e 28%.

No recorte por detentor de títulos, fundos de investimento continuam sendo o principal, com 26,58%. A Previdência vem a seguir, com 24,83% do total. É uma leve queda em relação a abril, quando detinham 25,56% dos papéis. Instituições financeiras detêm 22%, e estrangeiros possuem 12,74%, aumento ante os 12,5% do mês anterior.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.