Presidente do Telegram vê China como provável origem de ataque

Serviço de mensagens teria sido atingido por um ataque DDoS originado de endereços IP chineses

China | Reuters

Segundo o presidente-executivo do Telegram, Pavel Durov, o serviço de mensagens sofreu um ataque cibernético enorme e apontou a China como seu provável país de origem

O serviço foi atingido por um "poderoso ataque DDoS" originado de endereços IP principalmente na China, disse Durov na quarta-feira (12).

Usuários do aplicativo de mensagens instantâneas Telegram
Segundo o presidente do Telegram, o serviço de mensagens sofreu um ataque DDoS originado de endereços IP, em maioria, da China - Folhapress

O ataque coincidiu com protestos em Hong Kong, acrescentou ele.

Os ataques Distribuídos de Negação de Serviço (DDoS) envolvem o envio de um grande número de solicitações em um ataque direcionado, o que causa interrupções parciais ou completas do serviço.

A Administração do Ciberespaço da China (CAC), que supervisiona a política cibernética do país, não respondeu imediatamente a um pedido de comentários.

Enquanto isso, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, disse que não estava ciente da situação quando questionado sobre a acusação de Durov durante um briefing diário nesta quinta-feira (13).

Autoridades chinesas já negaram as acusações de ataques cibernéticos, apontando que a China é frequentemente vítima de ataques externos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.