Relembre a linha do tempo das negociações do acordo entre Mercosul e UE

Tratado ainda precisa de aprovação de parlamentos para entrar em vigor

Ivan Martínez-Vargas
São Paulo

O acordo comercial assinado nesta sexta-feira (28) entre o Mercosul e a UE (União Europeia) é resultado de 20 anos de negociação e de tratativas que começaram ainda antes, em 1992.

O documento já esteve prestes a ser fechado outras vezes e passou por três fases de negociações. O entendimento havia se tornando prioridade para a gestão de Jair Bolsonaro, ainda que logo após a eleição o ministro da Economia, Paulo Guedes, tenha afirmado que o Mercosul não seria prioridade para o país. Depois, voltou atrás. 

 
O Ministério da Economia estima que o acordo deve representar um incremento de US$ 87,5 bilhões (R$ 336 bilhões) em 15 anos para o PIB do país, podendo chegar a US$ 125 bilhões (R$ 480 bilhões). 

Para entrar em vigor, o documento ainda precisa de revisões técnica e jurídica dos termos fechados. Depois, os presidentes dos países do Mercosul enviam o acordo para seus respectivos parlamentos, que precisam ratificar o negociado. Na UE, o acordo é encaminhado para votação no Parlamento Europeu.

Veja a cronologia das tratativas para um acordo entre os blocos

29 de junho de 1992 - Brasil e Mercosul assinam termo de cooperação comercial com os países do então Conselho das Comunidades Europeias, precursor da UE. O documento só é promulgado em novembro de 1995, já no governo de Fernando Henrique Cardoso.

No documento, as partes dizem que "estão decididas a fomentar, em especial, o desenvolvimento da cooperação em matéria de comércio, investimentos, finanças e tecnologia, tendo em conta a situação especial do Brasil como país em desenvolvimento."

15 de Dezembro de 1995 - É assinado, em Madri, o acordo-quadro de cooperação interregional entre Mercosul e União Europeia.

Junho de 1999 - É anunciado, durante a cúpula Mercosul-UE no Rio de Janeiro, o objetivo de iniciar negociações do acordo birregional em três pilares (comercial, político e de cooperação).

2004 - É feita a primeira oferta de acordo, que é considerada insatisfatória. 

Maio de 2010 - As negociações são retomadas em Madri. São apresentadas ofertas de acesso aos mercados de serviços e compras governamentais.

2012 - Segunda fase de negociações chega ao fim sem troca de ofertas entre os blocos.

Maio de 2016 - Blocos trocam ofertas de acesso aos mercados de bens, serviços e compras governamentais.

Dezembro de 2017 - Mercosul faz nova oferta, que é respondida pela UE em janeiro de 2018. 

28 de junho de 2019 - É assinado o acordo.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.