China abre mercado para lácteos do Brasil

País habilitou 24 estabelecimentos brasileiros para exportação de produtos como leite condensado e queijos

São Paulo | Reuters

A China abriu o mercado para lácteos brasileiros e habilitou 24 estabelecimentos do Brasil para exportação de produtos como leite em pó e queijos, de acordo com o Ministério da Agricultura nesta terça-feira (23).

A habilitação dos chineses acontece em um momento em que o país aguarda a autorização para dezenas de unidades exportadoras de carnes pela China.

Em nota, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse que a abertura do mercado lácteo impulsionará a cadeia produtiva do leite, que está em dificuldades

 "Fiquei muito feliz e gostaria de passar essa boa notícia para os produtores brasileiros, que estão vivendo um momento difícil, acabaram de perder R$ 0,30 no litro de leite, e agora vão poder ter a perspectiva. É claro que não é para amanhã, mas é uma abertura excelente para o Brasil."

Vacas leiteiras no carrossel, na empresa Batavo, em Carambeí (PR) - Mauro Zafalon-14.out.2015/Folhapress

De acordo com o ministério, a certificação estava acordada com a China desde 2007, mas não havia nenhuma planta brasileira habilitada a exportar desde então.

O ministério destacou que o Brasil produz 600 milhões de toneladas de leite, enquanto China importa 800 milhões de toneladas, "200 milhões de toneladas a mais do que produzimos".

Entre os produtos que poderão ser exportados estão não fluidos, como leite em pó, queijos e leite condensado.

Com a habilitação dos estabelecimentos, a expectativa é o setor exportar US$ 4,5 milhões  em queijos, estima a Viva Lácteos, segundo informação citada pelo ministério. Em 2018, os chineses importaram 108 mil toneladas em queijos, conforme a entidade.

Já as exportações brasileiras de queijos cresceram 65,2% nos últimos três anos, afirmou a nota.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.