Com juro baixo, XP Investimentos vê concorrência maior e migração de poupança

Para presidente de corretora, brasileiros irão recorrer a agentes independentes do mercado financeiro

Eduardo Cucolo
São Paulo

A redução dos juros no Brasil deve contribuir para o processo de migração de clientes de grandes bancos para corretoras e outros agentes do mercado financeiro. A avaliação é do fundador da XP Investimentos, Guilherme Benchimol.

“Isso vai mudar completamente, principalmente com o cenário de juros cada vez mais baixos. As pessoas precisam investir diferente. Vejo uma avalanche acontecendo. Quem vai dominar o sistema financeiro não será quem dominou nos últimos anos”, afirmou.

Guilherme Benchimol, da XP Investimentos, disse que não pretende vender a XP, mas que pode abrir seu capital - Joel Silva/Folhapress

Segundo Benchimol, apesar do grande número de competidores hoje no mercado, com corretoras, fintecs e varejistas oferecendo serviços financeiros, não há competição, pois 95% dos recursos ainda estão nos grandes bancos.

“Daqui cinco anos, a maior parte da poupança dos brasileiros estará fora dos bancos. Aí a competição vai ser entre os independentes, como no mercado americano.”

Nesta quinta-feira (4), durante evento organizado pela instituição financeira, Benchimol foi questionado se a XP seria comprada pelo Itaú, que já detém 49% da corretora, ou se acabaria por comprar o banco parceiro. Em respostas, disse que não pretende vender a XP, mas que pode abrir seu capital.

“A gente não tem data [para abertura de capital], mas é algo que, se acontecer, será no sentido de deixar a empresa mais forte”, afirmou.

A XP, maior corretora independente do país, recebeu no final do ano passado autorização do Banco Central para virar banco.

Benchimol afirmou que, como banco, a XP deverá contribuir também para aumentar a competição no mercado de crédito, com a oferta de produtos com spread bancário 80% inferior à média do mercado para quem investe por meio da instituição.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.