Descrição de chapéu Previdência

Para ministro da Casa Civil, ainda há muito trabalho para aprovar Previdência na Câmara

Expectativa do governo é de que reforma seja aprovada pelo plenário ainda neste mês

Brasília

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta quinta-feira (4) que o governo está com o “pé muito no chão” e que “ainda tem muito trabalho pela frente” para garantir os 308 votos necessários para aprovar a reforma da Previdência no plenário da Câmara. 

“Temos consciência, humildade, fé e ainda tem muito trabalho pela frente para garantir os mais de 308 votos que teremos, se Deus quiser, na próxima semana”, afirmou Onyx logo depois de o texto-base da reforma da Previdência ser aprovado na comissão especial da Casa. 

Onyx afirmou que a expectativa do governo é a de que a reforma seja aprovada pelo plenário da Câmara ainda neste mês, antes do início do recesso parlamentar.  

“Estamos trabalhando para isso, mas é claro que todos que vocês trabalham na Câmara e no Senado sabem que isso depende muito do dia, mas acho que vai correr tudo bem”, disse.

“A certeza que nós temos é votar e aprovar em primeiro turno na semana que vem. Se for possível votar o segundo [turno], vamos ficar ainda mais felizes.”

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou que “nenhum momento” o governo fez contabilidade dos votos que a reforma tem no plenário da Casa para “não gerar expectativa”.

“Em nenhum momento fizemos contabilidade nesse sentido para não gerar expectativa, mas se a gente for ver a proporção que foi na comissão especial, foi muito superior aos três quintos que não necessários no plenário”, disse.

​O ministro esteve na Câmara para acompanhar os minutos finais da votação na comissão especial e afirmou que o resultado superou a expectativa do Palácio do Planalto. 

“Fizemos uma aprovação aqui na comissão especial com uma diferença de voto extraordinária, bem maior do que a gente imaginava, o significa que encaminha muito bem para a decisão do plenário”, disse. 

Por 36 a 13, a reforma da Previdência foi aprovada pela comissão especial da Câmara, mas a votação ainda não foi concluída. O colegiado é formado por 49 membros.

Ainda precisam ser votados os chamados destaques —​pedidos de partidos e deputados para que uma parte específica da proposta seja analisada separadamente. 

Após a conclusão da votação na comissão, a reforma seguirá para apreciação do plenário da Câmara. A data ainda não foi definida.

O secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, disse que os 36 votos obtidos na comissão representam um resultado melhor do que os 34 votos estimados inicialmente pelo governo.

​"Nós esperávamos um resultado maiúsculo e foi um pouco maior até que os cálculos que nós tínhamos, o que demonstra uma possibilidade de que isso possa ser replicado no plenário da Câmara. Há um ambiente favorável", disse.

Thais Arbex, Thiago Resende e Bernardo Caram

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.