Uber lança plataforma de transporte de carga na Alemanha

Uber Freight vai enfrentar a concorrência de startups locais para conquistar mercado de transporte de cargas

Frankfurt | Reuters

A Uber está lançando uma plataforma de transporte de carga na Alemanha. A companhia vai enfrentar startups locais de tecnologia em uma corrida para conquistar uma fatia do mercado europeu de caminhões, que vale US$ 500 bilhões.

A Alemanha será o segundo mercado da Uber Freight a entrar em operação no continente depois da Holanda, disse um executivo à Reuters, com perspectiva de uma maior expansão, uma vez que as operações estejam funcionando sem problemas na maior economia da Europa.

Logo da Uber refletido em um iPad - Tyrone Siu/Reuters

Nos Estados Unidos, a Uber Freight já conecta 48 estados e gera mais de  UU$ 125 milhões em receitas trimestrais.

Liderada pelo presidente-executivo, Dara Khosrowshawi, a Uber consultou as autoridades alemãs e a indústria para obter apoio para seu negócio de transporte de carga, disse Daniel Buczkowski, diretor de expansão da Uber Freight na Europa.

A Uber vai competir com empresas locais, incluindo a startup sennder, de Berlim, que recebeu investimento de US$ 70 milhões  da empresa de private equity Lakestar e de outros investidores em uma avaliação de US$ 300 milhões, e que já tem uma presença mais ampla na Europa.

Buczkowski vê a vantagem da Uber Freight no seu alcance mundial e na sua tecnologia já comprovada. "Como uma empresa global, temos a envergadura para inovar constantemente e criar novos produtos e recursos que suportem todo o mercado", disse.

Ao contrário do aplicativo de transporte privado da Uber ou de seu serviço de entrega de alimentos, a Uber Freight operará como intermediária em um mercado com uma estrutura de preços já estabelecida.

A empresa ganhará dinheiro com a margem entre o preço pago pelo remetente e a quantia paga ao caminhoneiro, isolando-se do tipo de reclamação feita por muitos motoristas que alegam que lutam para obter uma renda decente.

A indústria também precisa de novos funcionários, com o Banco Mundial estimando que dois terços dos motoristas alemães irão se aposentar na próxima década, ameaçando-a com a falta de capacidade em uma indústria que faz mais de 70% do transporte de carga.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.