Atvos, da Odebrecht, propõe pagar 40% de dívidas a bancos

Parte das pendências, que chegam a R$ 11 bi, será transformada em título de empresa

Raquel Landim
São Paulo

A Atvos, braço de açúcar e álcool do grupo Odebrecht, vai apresentar nesta terça-feira (6) seu plano de recuperação judicial aos bancos credores.

A proposta inicial da companhia é pagar apenas 40% da dívida ou cerca de R$ 5 bilhões em um prazo de 15 anos, com três anos de carência, conforme fontes a par do processo.

Os R$ 6 bilhões restantes serão transformados em um título devido por uma companhia controladora da Atvos, a ser criada

Esses títulos só serão pagos se o negócio passar a dar lucro. Pela proposta, os dividendos da Atvos seriam divididos 70% para os bancos e 30% para o grupo Odebrecht.

Braço sucroalcooleiro da Odebrecht, Atvos propõe pagar 40% de dívidas a bancos
Braço sucroalcooleiro da Odebrecht, Atvos propõe pagar 40% de dívidas a bancos - Amanda Perobelli - 29.jul.19/Reuters

Se os prejuízos continuarem, os bancos não recebem nada. Os principais credores são Bradesco, Itaú, Santander, Banco do Brasil, BNDES e Caixa Econômica Federal.

As conversas com as instituições financeiras ainda estão no início e esses números podem mudar conforme as negociações avançarem.

A Atvos, contudo, é obrigada pela legislação de recuperação judicial a apresentar seu plano hoje.

A recuperação judicial é uma espécie de trégua que uma companhia pode pedir à Justiça caso não tenha condições de arcar com seus compromissos.

Em troca, se compromete a apresentar um plano para solucionar a situação, que deve ser aprovado pelos credores.

Os maiores bancos brasileiros também são os principais credores da holding da Odebrecht, que também está em recuperação judicial desde o início de junho. 

Esse processo, no entanto, é mais complexo e envolve uma dívida total de R$ 98,5 bilhões.

 holding da Odebrecht, chamada de ODB, tem prazo até o dia 26 para apresentar seu plano de recuperação 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.