Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro dá sinal verde para privatização da Eletrobras

Modelo de venda de ações da companhia na Bolsa deve ser realizado ainda neste ano

Brasília

O presidente Jair Bolsonaro deu sinal verde, nesta quinta-feira (1), para que a União saia do controle da Eletrobras. A partir de agora, serão feitos estudos para definir o modelo de venda de ações da companhia na Bolsa. A expectativa é de que o processo seja realizado ainda neste ano.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, fez o comunicado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários). No documento, ele informa que Bolsonaro concordou com o modelo de capitalização que, quando realizado, levará à saída da União do controle da empresa.

Modelo de venda de ações da companhia na Bolsa deve ser realizado ainda neste ano - Brendan McDermid/Reuters

Isso porque haverá uma venda de ações ordinárias (sem poder de voto) na Bolsa e a União não fará compras. Dessa forma, sua participação ficará reduzida a menos de 50%.

Segundo pessoas que participam das discussões no governo, mesmo que a União saia com uma participação elevada desse processo (mas inferior a 50%), não poderá votar nas assembleias com mais do que 10% das ações.

Na prática, a Eletrobras se tornará uma empresa de capital pulverizado, sem controle definido.

O comunicado também menciona uma reestruturação da Eletrobras antes desse processo. Na prática, será preciso separar a Eletronuclear e a usina de Itaipu da estatal.

Isso porque a Eletronuclear continuará sob controle da União, conduzindo a obra da usina de Angra 3 junto com um parceiro privado que está sendo procurado. Itaipu é uma hidrelétrica binacional.

Ainda segundo técnicos envolvidos nesse processo, a modelagem desse aumento de capital da Eletrobras está praticamente concluída e deve movimentar algo entre R$ 18 bilhões e R$ 20 bilhões a depender do apetite dos investidores institucionais à “nova Eletrobras”.

O ex-presidente Michel Temer tentou realizar essa operação, mas foi barrado no Congresso Nacional que sequer concluiu o processo de venda de seis distribuidoras de energia da estatal, justamente as que mais davam prejuízos à Eletrobras. Sem isso, a capitalização ficou comprometida e foi preciso esperar pela chegada do novo governo.

Sem as distribuidoras, cujo processo de venda já foi concluído, o governo Bolsonaro agora consegue atribuir mais valor à Eletrobras. Antes, a capitalização previa R$ 12,2 bilhões em recursos para a União.
O processo será submetido ao Congresso Nacional, para que, segundo o fato relevante, seja seguido o “rito legislativo”.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.