Bradesco anuncia PDV para funcionários com 20 anos de banco e perto da aposentadoria

Banco afirmou que pagará 60% do salário fixo do mês por ano completo trabalhado, limitado a 12

Tássia Kastner
São Paulo

O Bradesco anunciou nesta quinta-feira (29) um PDV (Programa de Demissão Voluntária), o terceiro entre os grandes bancos brasileiros a adotar a medida nos últimos meses. Funcionários podem aderir entre 2 de setembro e 16 de outubro.

Itaú e Banco do Brasil já haviam proposto incentivos a seus funcionários para que deixassem a empresa, uma iniciativa para reduzir o número de empregados em meio a um processo de fechamento de agências e a necessidade de cortar custos com a queda da taxa de juros e a migração para serviços digitais.

O Bradesco não informou quantos postos pretende cortar, mas encerrou o segundo trimestre de 2019 com 99.198 funcionários, 1.500 a mais na comparação com junho de 2018. No mesmo período, o número de agências caiu de 4.700 para 4.581.

Fachada externa de uma agência Bradesco na Avenida Paulista, em São Paulo - Kevin David - 3.nov.2018/Folhapress

O PDV é voltado a profissionais com mais de 20 anos de casa. No caso daqueles que trabalham em agências, será preciso já estar aposentado ou perto de se aposentar. 

Em comunicado ao mercado, o banco afirmou que pagará 60% do salário fixo do mês por ano completo trabalhado, limitado a 12. O trabalhador terá 18 meses de plano de saúde e odontológico e ainda receberá 6 meses adicionais do valor correspondente ao vale-alimentação.

O Bradesco afirmou que divulgará o custo com o PDV e o número de adesões apenas após o fim do prazo do programa.

O banco da Cidade de Deus gastou R$ 4,2 bilhões com salários fixos e benefícios apenas no segundo trimestre deste ano, uma alta de 6,8% na comparação com abril a junho de 2018. 

O PDV ocorre apesar do discurso otimista do presidente do banco, Octavio de Lazari, com a recuperação da economia.

"Em 40 anos de mercado financeiro, nunca vivi com nível de taxa de juros tão baixo, inflação tão baixa e preços ancorados. Apesar de todas as dificuldades não dá para não ser otimista”, disse Lazari após a divulgação dos números do segundo trimestre.

O Banco do Brasil já fechou a sua reestruturação que levou ao desligamento de 2.300 funcionários. Diferentemente de um PDV tradicional, porém, só teve o pedido de demissão acatado o funcionário cuja vaga já havia sido fechada ou que tivesse um profissional de cargo equivalente para substituí-lo.

O BB estimou gasto de R$ 260 milhões em despesas com a adequação e economia anual de R$ 490 milhões a partir de 2020, o equivalente a 3% da despesa fixa com pessoal dos últimos 12 meses do banco.

O Itaú encerra o PDV nesta semana, mas também não divulgou previsão de economia e número de funcionários que esperava cortar. O maior banco privado do país emprega 85 mil colaboradores.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.