Discurso do desmatamento é mecanismo europeu para criar barreiras ao Brasil, diz Onyx

Ministro disse que países europeus querem barrar crescimento brasileiro

Arthur Cagliari
São Paulo

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira (22) que o discurso de países europeus sobre o desmatamento na Amazônia é uma política para criar barreiras ao Brasil.

"Os europeus usam a questão do meio ambiente por duas razões: a primeira para confrontar os princípios capitalistas. Porque desde que caiu o muro de Berlim e desde que a União Soviética fracassou, uma das vertentes para qual a esquerda europeia migrou foi a questão do meio ambiente. E a outra coisa é para estabelecer barreiras ao crescimento e ao comércio de bens e serviços do Brasil."

O ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) em coletiva no Palácio do Planalto na quarta-feira (21) - Pedro Ladeira/Folhapress

A jornalistas, após o evento Brasil de Ideias, realizado pela primeira vez em São Paulo pelo Grupo Voto, o ministro afirmou que nos anos de 1980, 1990 e 2000, a febre aftosa foi utilizada como um instrumento de proteção mundial para evitar exportações de carne e de grãos brasileiros. 

Na avaliação de Lorenzoni, como o controle acabou com essa questão, hoje há a busca por uma alternativa para impedir o avanço brasileiro.

"Só no vinho, os europeus gastam 1,4 bilhão de euros por ano para dar sustentação à produção europeia. Por que eles têm tanto interesse em criar dificuldades ao Brasil? O Brasil é o grande competidor em commodities, em bens minerais e é o último grande depósito da humanidade em biodiversidade", disse.

"O Brasil é um país que cuida muito bem do seu meio ambiente. Nós não precisamos de lição de ninguém."

Após a Folha questionar o motivo dessa proteção, uma vez que o bloco acabou de fechar um acordo comercial com o Mercosul, o ministro se irritou e recomendou que a reportagem fosse ler.

​"Porque eles têm que proteger os seus produtores, meu amigo. Por favor, leia um pouco, só um pouquinho, não precisa ser muito."

Também ao ser perguntado se pretende visitar as áreas das queimadas, o ministro disse haver coisas mais importantes.

Sobre a aprovação de MP (medida provisória) da Liberdade Econômica, ocorrida nesta quarta-feira (21) no Senado, Lorenzoni minimizou a retirada do trecho das folgas aos domingos.

Segundo o ministro, a alteração conceitual trazida pela medida é uma revolução, na qual o cidadão passa a ter razão sobre o governante, até que se prove o contrário, e foi isso, segundo ele, que impulsionou o crescimento dos Estados Unidos.

"O Estado brasileiro sempre foi imperial. Nós quebramos algo que historicamente prejudicava as liberdades das pessoas, e isso é muito maior que o problema dos domingos."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.