Trump adia tarifação de produtos chineses para não atrapalhar compras de Natal nos EUA

Adiamento diz respeito a telefones celulares, notebooks, monitores de computador, brinquedos, calçados e itens de vestuário

Londres | AFP

Os Estados Unidos adiaram até 15 de dezembro a imposição de novas tarifas de 10% sobre os eletrônicos chineses, mas prosseguirão com novas tarifas que entrarão em vigor a partir de 1º de setembro sobre US$ 300 bilhões (R$ 1, 1 trilhão) em produtos da China, anunciou o governo nesta terça-feira (13). 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou a repórteres que o governo decidiu adiar as tarifas  para não prejudicar as compras dos americanos antes do Natal.

O adiamento diz respeito a telefones celulares, notebooks, monitores de computador, consoles de videogame e alguns brinquedos, calçados e roupas, afirmou o representante comercial dos Estados Unidos em um comunicado. 

Enquanto Washington e Pequim trabalham para resolver a escalada da guerra comercial, o representante comercial Robert Lighthizer conversou com autoridades comerciais chinesas nesta terça-feira e tem outra conversa planejada para daqui duas semanas.

A ação do gabinete foi publicada minutos após o ministro do Comércio da China ter dito que o vice-Premiê Liu He conduziu uma ligação telefônica com autoridades comerciais americanas.

Investidores em tecnologia comemoraram a notícia das isenções, gerando uma alta de 2,8% em um índice de estoques de chips, enquanto as ações da Apple subiram mais de 5%.

O presidente Donald Trump disse em 1º de agosto que imporá uma tarifa de 10% sobre 300 bilhões de dólares de produtos chineses, culpando a China por não cumprir as promessas de comprar mais produtos agrícolas americanos. 

A lista de produtos que não serão afetados pelas tarifas até dezembro inclui babás eletrônicas, carrinhos de bebê, micro-ondas, câmeras, campainhas, instrumentos musicais, embalagem para ketchup, fraldas, fogos de artifício, sacos de dormir, varas de pesca, rolos de pintura e alimentos.

O gabinete seguirá com a imposição das tarifas a partir de 1° de setembro para produtos como animais vivos, lácteos, bolas de golfe, lentes de contato, motores de motocicletas, baterias de lítio, sopradores de neve e outros tipos de ferro.



Com agência Reuters

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.