Descrição de chapéu The Wall Street Journal

GateHouse e Gannett, maiores cadeias de jornais dos EUA, unem operações

Acordo surge em um momento no qual muitos jornais vivenciam queda de suas receitas

Cara Lombardo Jeffrey A. Trachtenberg
Nova York | The Wall Street Journal

As duas maiores cadeias de jornais dos Estados Unidos fecharam acordo para combinar suas operações em uma transação de cerca de US$ 1,4 bilhão (R$ 5,5 bilhões).

O New Media Investment Group, controlador da GateHouse Media, vai comprar a Gannett em uma transação a ser paga em dinheiro e ações, anunciaram as empresas nesta segunda-feira (5).

O acordo combina a maior cadeia de jornais dos EUA pelo número de títulos —a GateHouse controla 400 jornais com circulação somada de 4,29 milhões de exemplares— à maior por circulação, a Gannett, que tem 215 títulos, entre os quais o USA Today, e circulação diária de 4,32 milhões de exemplares, de acordo com estudo da Universidade da Carolina do Norte.

Michael Reed, presidente-executivo do New Media Investment Group, de Pittsford, Nova York, servirá como presidente-executivo das empresas combinadas. A nova empresa reterá o nome da Gannett e sua sede será em McLean, na Virgínia. 

O New Media Investment Group vai comprar a Gannett, que publica o USA Today, em uma transação a ser paga em dinheiro e ações - Mark Wilson/AFP

A transação deve ser concluída até o fim de 2019, se obtiver aprovação das autoridades regulatórias e dos acionistas de ambas as empresas. Os acionistas da Gannett deterão cerca de 49,5% da empresa combinada, e o restante caberá aos da New Media.

A GateHouse, cujos títulos incluem os jornais Austin American-Statesman e Columbus Dispatch, é conhecida por suas medidas rigorosas de corte de custos, que incluem demissões. A New Media é operada pelo Fortress Investment Group, empresa de capital privado controlada pelo SoftBank Group, gigante japonês do software e investimento.

Em um sinal de que a GateHouse planeja seguir seu conhecido método e buscar atentamente por sobreposições de custos passíveis de corte, as empresas disseram que esperam eliminar entre US$ 275 milhões (R$ 1,08 bilhão) e US$ 300 milhões (R$ 1,18 bilhão) em despesas a cada ano —um número alto, considerada a dimensão da transação.

O acordo entre a Gannett e a GateHouse surge em um momento no qual muitos jornais experimentam queda de suas receitas com publicidade impressa, incluindo anúncios classificados, enquanto concorrem com gigantes da tecnologia como o Google, do grupo Alphabet, e o Facebook, pelas verbas publicitárias digitais. 

Google e Facebook juntos devem ficar com 51% do bolo da publicidade digital dos Estados Unidos em 2019, de acordo com o grupo de pesquisa eMarketer.

Mais de 2.100 jornais fecharam nos EUA entre junho de 2004 e junho de 2019, de acordo com Penelope Abernathy, professora da escola de mídia e jornalismo da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill e autora de um relatório intitulado "The Expanding News Desert" [a expansão do deserto de notícias], publicado em 2018.

Traduzido do inglês por Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.