Não há tentativa de constranger ministro do TCU, diz Receita

Bruno Dantas disse à Folha que recebeu com perplexidade pedido de informação sobre pagamento médico

Bernardo Caram
Brasília

A Receita Federal afirmou nesta segunda-feira (12) que o ministro do TCU (Tribunal de Contas da União), Bruno Dantas, não está sob fiscalização do órgão. O órgão negou que haja tentativa de constrangimento de autoridade.

No domingo (11), em entrevista à Folha, Dantas afirmou que a intimação que recebeu na última sexta-feira (9) da Receita questionando despesas médicas de três anos atrás seria uma tentativa de constranger o tribunal.

Bruno Dantas, ministro do TCU - Alan Marques/Folhapress

A Receita pede comprovação de um pagamento de R$ 13,2 mil a um médico cirurgião. A cobrança chegou três dias após ele relatar processo no qual pregou o corte de bônus dos servidores do fisco. O ministro disse o comunicado que causou perplexidade porque o processo havia sido encerrado em setembro de 2018.

Em nota à imprensa, a Receita informou que o pedido de informações não diz respeito ao processamento da declaração de Dantas. Segundo o fisco, o pedido dirigido a ele outras 56 pessoas diz respeito à apuração sobre pagamentos recebidos por um médico que se encontra sob procedimento de fiscalização.

A Receita afirma que o pedido, nesse caso, é absolutamente normal e se destina a verificar se o médico declarou todos os pagamentos recebidos de seus clientes.

“Não há, portanto, tentativa de ‘constranger’ o excelentíssimo ministro ou tampouco os demais 56 contribuintes que contrataram o profissional médico, cujo procedimento de fiscalização foi iniciado em outubro passado, ou seja, muito antes do início das manifestações públicas do ministro na imprensa”, diz a Receita.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.