Ecorodovias vence leilão da rodovia Uberlândia-Jataí com deságio de 33% no pedágio

Governo planeja conceder mais sete estradas no ano que vem, inclusive a Dutra

Ivan Martínez-Vargas
São Paulo

A Ecorodovias venceu nesta sexta-feira (27) o leilão da rodovia BR-364/365, que liga Jataí (GO) a Uberlândia (MG). Foi o primeiro certame de concessões de rodovias do governo Bolsonaro.

A empresa ofereceu a tarifa básica de pedágio de R$ 4,69. Levou o lote porque ofereceu o maior desconto em relação ao preço inicialmente previsto no edital da concessão, de R$ 7,02. O deságio foi de 33,14%.

O prazo de concessão é de 30 anos.

Operação tapa buraco na rodovia  BR364, no km 257 próximo a cidade de Jatai, MT
Operação tapa buraco na rodovia BR-364, no km 257 próximo a cidade de Jatai, MT - Joel Silva - 12.nov.2010/Folhapress

Na abertura dos envelopes, os outros dois participantes do certame –Silva e Bertoli Participações e o consórcio Way– apresentaram ofertas de R$ 5,75 e R$ 5,82, respectivamente.

A estrada, que tem 437 quilômetros de extensão, passa por 11 municípios entre Goiás e Minas Gerais. O trecho, usado principalmente para o escoamento de produtos da região do triângulo mineiro, terá sete praças de pedágio: quatro no trecho mineiro e três no goiano.

Entre as obras previstas no edital de concessão, estão a duplicação de 44 quilômetros de pista, a colocação de uma terceira faixa em 134 quilômetros, além da implantação de 88 quilômetros de acostamentos.

Os investimentos previstos na rodovia somam R$ 2 bilhões, além de R$ 2,53 bilhões que deverão ser aplicados na conservação e manutenção das vias.

"A rodovia é um corredor importante de grãos que descem do Norte ao Sudeste e também para a região do triângulo mineiro, que é desenvolvida. Já temos as equipes prontas para começar obras como recapeamento, limpeza [de canteiros] e melhorias na sinalização a partir do dia 1 [do contrato]", afirmou Marcello Guidotti, diretor financeiro da Ecorodovias.

"À medida que a gente concede rodovias, libera orçamento para investir nas estradas que precisam de melhorias e eventualmente não sejam viáveis para uma concessão, mas que precisam de obras públicas, como é o caso do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais", disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Segundo o ministro, serão gerados cerca de 4.000 empregos diretos com a concessão da BR-364/365.

Próximos leilões

leilão da BR-364/365 é o primeiro de concessão de rodovias federais do governo Bolsonaro e deve fechar o cronograma de leilões de infraestrutura em 2019.

Para 2020, o Ministério da Infraestrutura pretende conceder sete rodovias. A primeira delas deverá ser um trecho da BR-101 em Santa Catarina, segundo o ministro Tarcísio de Freitas. O projeto obteve aprovação do Tribunal de Contas da União.

"Teremos ainda o leilão da BR-163 entre Goiás e Tocantins, entre Anápolis e Aliança do Tocantins (...), a BR-381 em Minas Gerais, a BR-262 no Espírito Santo, a BR-163 no Pará, a Rio-Teresópolis, a BR-116 em Minas Gerais, a Rio-Juiz de Fora e a Nova Dutra com a Rio Santos", disse Freitas.

A maior licitação será a da rodovia Presidente Dutra, cuja concessão vence em 2020.

Segundo o ministro, a pasta deverá lançar novas concessões rodoviárias. "Estamos trabalhando na estruturação de 4.100 km no Paraná e mais 7.200 km com o BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] em rodovias espalhadas pelo Brasil inteiro."

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgou nota em que diz ser importante o resultado do leilão. A concessão "significa um avanço na direção da melhoria da qualidade das estradas nacionais", diz a entidade, segundo a qual 15% das rodovias pavimentadas federais são administradas pela iniciativa privada.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.