Descrição de chapéu The Wall Street Journal

Huawei lança primeiro smartphone sem apps populares do Google

Gigante chinesa foi impedida de adquirir tecnologia de origem americana em maio

Sara Germano Dan Strumpf Parmy Olson
The Wall Street Journal

A Huawei Technologies revelou na quinta-feira (19) seu primeiro smartphone sem os apps mais populares do Google, o que é um subproduto da disputa comercial entre China e os Estados Unidos e pode complicar os esforços da gigante da tecnologia chinesa para incentivar a demanda por seus bens de consumo fora do país.

Desde que a companhia foi adicionada à "lista de entidades" do Departamento do Comércio americano, em maio, ela está impedida de adquirir tecnologia de origem americana. Isso significa que a nova série de smartphones Huawei Mate 30 vai funcionar com uma versão de fonte aberta do sistema operacional Android, que não incluirá a loja de apps Play e outros apps do Google tipicamente incluídos nos produtos da Huawei, como o Google Maps e o YouTube.

Gigante chinesa foi impedida de adquirir tecnologia de origem americana em maio - Aly Song/Reuters

O Departamento do Comércio dos Estados Unidos mencionou preocupações de segurança nacional para colocar a Huawei e suas afiliadas na lista.

"O governo dos Estados Unidos nos forçou a fazer isso, e não temos outra solução", disse Richard Yu, presidente-executivo de bens de consumo da Huawei. "O bloqueio americano destruiu esse setor e prejudica também as empresas dos Estados Unidos."

Embora Yu tenha dito que os usuários ainda poderão baixar apps do Google, quer por meio da App Gallery, a loja de apps da Huawei, ou  por outros canais, ele não especificou quais aplicativos estariam disponíveis, e onde.

Yu disse que a Huawei optou por lançar a linha Mate 30 com a plataforma Android de fonte aberta em lugar da plataforma que a empresa mesma está desenvolvendo, o Harmony OS, porque disse que deseja continuar a manter um bom relacionamento com o Google, do grupo Alphabet, que oferecia serviços da plataforma Android nos modelos de smartphones anteriores da companhia.

O Google está entre as diversas empresas americanas que estão buscando permissão do Departamento do Comércio para retomar a venda de componentes à Huawei, de acordo com uma pessoa informada sobre a questão.

As vendas do Mate 30, cujo preço inicial é de 1.099 euros (R$ 5.023,30) serão observadas atentamente, como parte da luta da Huawei por fatia de mercado na Europa, o mercado mais importante para a empresa fora da China.

Um porta-voz da Huawei disse que os celulares chegarão às lojas da Ásia no mês que vem, e depois chegarão à Europa, mas o itinerário específico de vendas da nova linha não estava disponível de imediato.

Adotar um novo sistema operacional é uma tarefa complicada para a maior parte dos usuários de smartphones, e analistas dizem que as companhias ocidentais provavelmente optarão por um novo fornecedor de smartphones se a Huawei perder permanentemente o acesso ao Android.

Embora aparelhos da Huawei estejam virtualmente indisponíveis nos Estados Unidos, as vendas da marca na Europa são competitivas. Em 2018, a Samsung Electronics assumiu a liderança nas vendas de smartphones no continente, com 31% do mercado, seguida de perto pela Apple e Huawei, cada qual com 22%, de acordo com dados da Canalys.

Ainda que a Huawei seja parte da lista de entidades americana há mais de quatro meses, o motivo para que o Mate 30 seja o primeiro smartphone da empresa a ser vendido com uma versão simplificada do Android é que o Google licencia seu sistema operacional para os fabricantes de smartphones em base de modelo a modelo.

Modelos de smartphones da Huawei anteriores ao Mate 30 receberam esse tipo de licença antes que a empresa fosse incluída na lista de restrição, de acordo com uma pessoa informada sobre o assunto.

The Wall Street Journal, tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.