Descrição de chapéu The Wall Street Journal

Presidente da Nissan pode renunciar ao cargo, diz jornal

Conselho da empresa, que vive crise desde a prisão de Carlos Ghosn, avalia na segunda-feira se inicia busca por novo executivo

Sean McLain Nick Kostov
Tóquio e Paris | The Wall Street Journal

O conselho de administração da Nissan vai discutir nesta segunda (9) um plano para substituir o presidente-executivo, Hiroto Saikawa. Se houver a aprovação, será iniciada uma busca formal por candidatos, segundo pessoas familiarizadas com os planos do conselho.

Uma das pessoas disse que Saikawa, 65, poderá apresentar sua renúncia na reunião. O jornal japonês Nikkei informou que o executivo manifestara reservadamente sua intenção de renunciar. Procurado para comentar o assunto, não foi localizado.

A busca por um novo chefe para a Nissan ganhou urgência crescente nos últimos meses, quando Saikawa começou a ser analisado pelo fraco desempenho dos negócios. A empresa está cortando empregos em todo o mundo, já que enfrenta queda nas vendas e no lucro.

Em novembro passado, o então presidente do conselho da Nissan, Carlos Ghosn, que liderou a empresa durante quase duas décadas, foi preso. O executivo, que tem cidadania brasileira, francesa e libanesa, foi destituído de seus cargos por acusações de crimes financeiros, incluindo subnotificação de seus ganhos, e enfrentará julgamento em 2020 em Tóquio. Ele diz que é inocente.

O chefe do novo comitê de nomeação do conselho da Nissan, Masakazu Toyoda, disse em julho que queria elaborar um plano de sucessão assim que possível. A montadora criou o comitê após sua reunião de acionistas em junho.

O comitê já elaborou uma lista de dez potenciais candidatos, mas o conselho até agora indicou a preferência de que o próximo presidente-executivo venha da própria Nissan, segundo uma das fontes. 

O conselho também planeja questionar Saikawa sobre a manipulação de sua remuneração por desempenho com base nas ações, o que resultou no recebimento de mais de US$ 400 mil de pagamentos em excesso. Saikawa reconheceu na semana passada que houve um erro em seu salário e disse que devolveria a quantia excedente.

O presidente-executivo da Nissan, Hiroto Saikawa - Issei Kato/Reuters


Um porta-voz da Nissan disse que a reunião do conselho irá discutir a investigação pela Nissan de dez meses das atividades de Ghosn, bem como a questão do pagamento por desempenho com base em ações. Ele se recusou a dar mais detalhes.

Saikawa disse esperar que o conselho chegue a um plano para substituí-lo rapidamente, mas também que sente a responsabilidade de reverter os negócios da Nissan antes de entregar as rédeas.

As pessoas envolvidas nas discussões disseram que poderá ser difícil substituir Saikawa imediatamente, em parte por causa da sensação de que ainda não surgiu um sucessor claro. 

Outro desafio é a relação incerta da Nissan com a Renault, que detém 43,4% da montadora japonesa. As duas empresas têm discutido uma revisão de sua parceria de duas décadas, cujo resultado poderá ser a redução da participação da Renault na Nissan. Isso tem sido difícil devido à resistência da Renault e do governo francês, maior acionista da companhia.

As discussões da aliança poderão ser interrompidas se uma nova pessoa assumir o comando da Nissan.

Tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.