RS pede a Guedes para entrar no regime de recuperação fiscal

Governador apresentou ao ministro plano que não inclui a venda do banco estadual

Brasília | Reuters

governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), apresentou nesta quarta-feira (23) ao ministro da Economia, Paulo Guedes, um plano para entrar no regime de recuperação fiscal sem que tenha que privatizar o Banrisul.

Leite afirmou que a venda do banco estadual consumiria capital político do governo e não resolveria o problema de desequilíbrio nas contas públicas do estado, já que configuraria uma receita extraordinária, que não se repetiria.

O governador apresentou à equipe econômica, em troca, um cardápio de medidas envolvendo ajustes nas despesas de pessoal e previdenciárias que, segundo ele, dariam ao Rio Grande do Sul um ganho de R$ 33 bilhões nos próximos seis anos.

O Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), durante entrevista em seu gabinete no Palácio Piratini, em Porto Alegre
O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), durante entrevista em seu gabinete no Palácio Piratini, em Porto Alegre - Marcos Nagelstein - 10.out.2019

Somando os benefícios com o ingresso no regime, como o período inicial em que deixaria de pagar sua dívida junto à União, o Estado ganharia um fôlego de R$ 66 bilhões em seis anos.

Em entrevista à imprensa, Leite afirmou ter "muita expectativa" sobre a negociação para entrada no regime de recuperação fiscal ainda neste ano. O governador espera que o Tesouro dê seu parecer nas próximas semanas sobre o pedido.

Antes da fala do governador, Guedes fez uma rápida avaliação a jornalistas de que Leite estaria "no caminho correto", sem dar mais detalhes.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.