GM suspende entrega de Onix Plus por risco de incêndio

O modelo foi lançado há pouco mais de um mês e vai passar por um procedimento de recall

São Paulo

A General Motors suspendeu as entregas do novo sedã Chevrolet Onix Plus, um dos carros mais vendidos do Brasil.

O modelo, que foi lançado há pouco mais de um mês, vai passar por um procedimento de recall devido a risco de incêndio.

Dois casos se popularizaram por meio de vídeos publicados em redes sociais. O primeiro a circular mostra uma unidade do Onix Plus em chamas no pátio da fábrica, em Gravataí (RS). No outro, um automóvel do mesmo modelo pega fogo em uma estrada do Maranhão, de acordo com a descrição na internet.

Segundo a montadora, os veículos que já foram entregues precisam receber uma atualização do software de gerenciamento do motor.

“Em condições muito especificas e combinadas de pressão atmosférica, temperatura ambiente, umidade relativa do ar e composição do combustível, o software de gerenciamento do motor pode, eventualmente, apresentar falha, com risco de danos ao motor e potencial incêndio, como no caso ocorrido na região Nordeste”, afirma a montadora por meio de nota.

A fabricante diz que o problema é precedido por um aviso no painel do veículo. a luz indicadora de funcionamento incorreto do motor se acende.

A GM afirma que o caso ocorrido em Gravataí não tem relação com o problema detectado agora.
 
Principal produto da linha Chevrolet, o Onix chegou à segunda geração totalmente renovado. As mudanças incluem motorizações, carroceria e equipamentos. A fabricante tenta ser ágil para contornar o problema, que pode prejudicar seriamente suas vendas.

Em outubro, seu primeiro mês cheio de comercialização, a versão sedã atingiu a sexta posição no ranking nacional, com 7.140 emplacamentos. O primeiro colocado no mês foi a antiga geração da opção hatch (21.198 licenciamentos), que lidera o mercado desde 2015. Os dados são da Fenabrave, entidade que representa as distribuidoras de veículos.

O que a General Motors tenta fazer agora é não repetir o erro da Fiat na década de 1990, quando casos de incêndio do hatch médio Tipo começaram a surgir Brasil afora.

A marca italiana demorou a detectar o defeito (vazamento de fluido da direção hidráulica) e a convocar os recalls. O caso foi determinante para encerrar precocemente a história do modelo no Brasil.

A Chevrolet corre para preservar a imagem do carro enquanto prepara o início das vendas da nova geração com carroceria hatch. Essa opção chegará às lojas na última semana de novembro.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.