Crescimento do 1° tri na China pode cair abaixo de 5% com vírus, diz economista do governo

Analista estima que surto atingirá pico em fevereiro e não descarta queda inferior a 5%

São Paulo

O coronavírus pode desacelerar o PIB da China para 5% ao ano no primeiro trimestre, de acordo com dado divulgado nesta quarta-feira (29) por um economista do governo chinês. 

"O crescimento do PIB no primeiro trimestre de 2020 pode ser de cerca de 5% e não podemos descartar a possibilidade de cair abaixo de 5%", disse o economista Zhang Ming, de acordo com a revista Caijing.

Economista da Academia Chinesa de Ciências Sociais, instituto de análise do governo, Zhang afirmou que suas projeções são baseadas no pressuposto de que o surto atingirá seu pico em meados de fevereiro e terminará no final de março.

A expansão da China desacelerou a uma mínima de 30 anos de 6% no quarto trimestre, e analistas projetam que a epidemia vá afetar a economia.

Em 2019, o país asiático cresceu 6,1%, o pior índice em 29 anos. ​ Em 20 de janeiro, o FMI previu que a China cresceria 6% em 2020

Os mercados financeiros estão voláteis nesta semana, reflexo do temor de investidores de que as medidas de controle adotadas por Pequim desacelerem afetem também o crescimento global.

Confinada, Wuhan, uma importante cidade industrial —tem cerca de 160 empresas japonesas— e uma das maiores da China, está com atividades paralisadas. De lá saem 60% dos trilhos de alta velocidade chineses.

Na noite de terça (28), o número de mortos pelo surto de coronavírus subiu de 106 para 132 na China. O total de infectados passa de 5.974. O Brasil registra ao menos nove casos de suspeita.

Nesta quarta (29), o dólar fechou em alta de 0,6%, a R$ 4,22, maior valor desde 29 de novembro. 

Analistas avaliam que o dano econômico pode ser maior do que o decorrente da epidemia de Sars (síndrome respiratória aguda grave), que deixou centenas de mortos em 2003. Naquele ano, o país desacelerou de 11,1% a 9,1% entre o primeiro e o segundo trimestre. No ano, cresceu 10%. 

Para a agência de classificação de risco S&P, o crescimento do PIB chinês pode cair cerca de 1,2 ponto percentual em 2020 caso os gastos de consumo, especialmente em transporte e diversão, caiam 10%. Assim, considerando a previsão do FMI, o PIB chinês pode avançar só 4,8% em 2020.

Segundo a Rico, se o coronavírus estender seus efeitos, os indicadores econômicos do primeiro trimestre podem ser “duramente impactados”.

“E, com os juros tão baixos mundo afora, os bancos centrais podem ter menos ferramentas para estimular as economias”, afirmou em relatório nesta semana.

Nesta semana, diversas empresas suspenderam as viagens programadas para o país. Nesta quarta, a Petrobras informou que tomou essa medida de forma preventiva, seguindo a Vale, que cancelou as viagens de funcionários no dia anterior.

Outras empresas brasileiras anunciaram medidas semelhantes.

Além de empresas do setor calçadista, a fabricante de materiais elétricos WEG, uma das companhias com maior presença no país, orientou que viagens sejam feitas apenas depois de 8 de fevereiro.

Algumas fábricas aguardam orientação do governo para saber quando poderão retomar produção.

Estrangeiras como Startbucks, Facebook, LG, HSBC, Goldman Sachs, Honda e Nissan também restringiram voos. A Starbucks, maior rede de cafeterias do mundo, indicou que vai fechar mais de metade das lojas no país.

As companhias aéreas também optaram pela suspensão de voos à medida que crescem as preocupações quanto ao impacto do surto sobre as viagens internacionais. ​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.