XP tem lentidão e chega a ficar fora do ar em dia que Bolsa cai 7%

Investidores relatam que não conseguem acessar sistema; assessoria nega que tenha saído do ar

São Paulo

Na primeira grande turbulência do mercado financeiro após a massiva entrada de investidores na Bolsa, a plataforma de negociação de ações da XP Investimentos —maior corretora do país— apresentou instabilidade e chegou a ficar fora do ar durante parte do início do pregão desta quarta (26), relatam investidores pelas redes sociais.

A XP afirmou que o sistema foi normalizado às 16h10.

O home broker da Clear Corretora, outra empresa da XP Inc., também teve problemas, segundo relatos de clientes. 

Alguns investidores afirmaram em redes sociais que não conseguiram acessar a plataforma em nenhuma dessas duas corretoras. Outros, que conseguiram acesso, enfrentaram atrasos nas ordens de compra e venda de ações.

Operadores da  XP Investimentos acompanham a Bolsa de Valores
Operadores da XP Investimentos acompanham a Bolsa de Valores - Joel Silva / Folha Imagem

No chat online, a assistente virtual da Clear Corretora afirmou que a plataforma estava com atraso nos pedidos de retirada e que o setor financeiro estava atuando para corrigir a situação para que o sistema se normalizasse.

Já no telefone de contato da corretora, o investidor também enfrentava instabilidade na linha e precisava tentar mais de uma vez para conseguir acessar o menu de opções com a atendente eletrônica.

Ainda assim, o tempo de espera para falar com a mesa de operações também era grande e chegava a ultrapassar os cinco minutos. Passado esse tempo, a ligação caía em alguns casos, obrigando o investidor a refazer todos os passos e a tentar novamente.

Procurada, a XP Inc. – controladora da XP Investimentos e da Clear Corretora – afirmou que o sistema apresentou intermitência para alguns clientes por conta do grande volume de acessos.

"A XP esclarece que a plataforma apresentou lentidão para alguns clientes no início da tarde desta quarta-feira (26). O problema ocorreu por conta do grande volume de acessos, que teve uma demanda 5 vezes maior em relação à média diária", disse a corretora em nota.

A Bolsa de Valores brasileira atingiu em janeiro 1,8 milhões de contas para pessoas físicas registradas na plataforma. Em relação a 2018, quando tinha 813 mil investidores, por exemplo, o aumento foi de 21,4%.

Em meados de 2019, as pessoas físicas voltaram a representar 20% das operações na Bolsa, marca que não era alcançada desde 2011.

Segundo especialistas, a maior presença de pessoas físicas na Bolsa também foi responsável pela alta de 32% em 2019, o melhor desempenho desde 2016 e que pode ser explicado pela frustração dos brasileiros com o rendimento da renda fixa, que é calculado com base na taxa básica de juros —atualmente em 4,25% ao ano.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.