Descrição de chapéu The Wall Street Journal

Dona do Google tem resultado decepcionante e revela pela 1ª vez o faturamento do YouTube

Plataforma de vídeos fatura US$ 15 bilhões ao ano com publicidade, abaixo do que projetavam analistas

Rob Copeland
San Francisco | The Wall Street Journal

A empresa controladora do Google, Alphabet, divulgou receita abaixo do esperado, mas revelou pela primeira vez o faturamento do YouTube outras áreas da companhia, como computação em nuvem.

A Alphabet divulgou uma receita total de US$ 46,08 bilhões no quarto trimestre, ficando aquém das expectativas dos analistas, de US$ 46,93 bilhões. O lucro operacional, uma medida dos lucros da empresa em investimentos centrais como pesquisa, foi de US$ 9,3 bilhões, abaixo da projeção consensual de US$ 9,9 bilhões. Isso marca a nona vez em dez trimestres que a empresa falhou nessa métrica.

As ações da Alphabet caíram mais de 3% nas negociações após o pregão.

As revelações da empresa sobre o YouTube e as operações em nuvem foram uma surpresa. Analistas e investidores pedem há anos mais detalhes sobre as operações da Alphabet, com pouco sucesso.

A empresa disse que o YouTube obteve US$ 4,7 bilhões em receita, enquanto seus negócios em nuvem geraram US$ 2,6 bilhões no quarto trimestre, ambos em rápido crescimento.

Em uma métrica anualizada, o canal de vídeos gera receita anual com publicidade de US$ 15 bilhões, abaixo das estimativas do mercado, que estimavam faturamento de US$ 25 bilhões.

A companhia afirmou também que o YouTube, que tem 2 bilhões de usuários mensais, gerou cerca de US$ 750 milhões em assinaturas e outras receitas que não são de publicidade, mas não revelou números para o período do ano anterior.

O relatório de lucros foi o primeiro da Alphabet desde que Sundar Pichai foi promovido a executivo-chefe da companhia em dezembro, substituindo os cofundadores do Google, Sergei Brin e Larry Page. Brin e Page ainda estão no conselho da Alphabet --Page é o presidente-- e detêm a maioria absoluta das ações com direito a voto, dando-lhes o controle efetivo da tomada de decisões no Google, que permanece inalterada.

Pichai foi anteriormente diretor-executivo do Google desde 2015.

Com informações da Reuters

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.