Descrição de chapéu Coronavírus

BB reforça crédito em R$ 100 bi e amplia limite de 13 milhões de clientes

Liberação valerá para pessoa física, empresas, agronegócio e administração pública

Brasília

Em meio a crise do coronavírus, o Banco do Brasil ampliou em R$ 100 bilhões suas linhas de crédito. Com a medida, 13 milhões de clientes tiveram efetiva ampliação de seu limite de empréstimos.

Empresas e governos interessados em contratar novos recursos estarão submetidos aos limites atuais e à análise de seu risco de crédito.

Em comunicado, o banco informou que, do total, R$ 24 bilhões são destinados a pessoas físicas, R$ 48 bilhões para empresas, R$ 25 bilhões para o agronegócio e R$ 3 bilhões para administrações públicas municipais e estaduais.

"Os recursos irão reforçar as linhas de crédito já existentes, principalmente as voltadas para crédito pessoal e capital de giro”, disse o banco.

Os R$ 100 bilhões já estão disponíveis e podem ser contratados pelo aplicativo no celular, internet banking e caixas automáticos.

Agência localizada no centro de São Paulo - Rivaldo Gomes/Folha Imagem

“É muito importante que o crédito continue disponível aos nossos clientes neste momento o que irá contribuir para a superação das dificuldades que venham a enfrentar. A orientação aos nossos gerentes é que acompanhem de perto a situação de cada cliente para que possamos antecipar as soluções financeiras adequadas já nos primeiros sinais de dificuldade”, disse Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil.

Para as pessoas físicas, o reforço de recursos ocorre nas linhas de crédito pessoal (crédito consignado, crédito salário e crédito automático).

Neste caso, no entanto, o cliente precisa ter essa linha disponível e o limite será aquele definido previamente.

“Como medida adicional, o BB ampliou os limites de crédito de 13 milhões de clientes pessoas físicas, o que adicionará mais R$ 18 bilhões aos limites de crédito atualmente concedidos”, diz o banco em nota.

Para as empresas, o BB reforçará em R$ 48 bilhões os recursos disponíveis para linhas de capital de giro, de investimento e de antecipação de recebíveis.

Os recursos serão contratados até o limite de crédito disponível para cada cliente.

Carro-chefe da economia, o agronegócio terá um reforço de R$ 5 bilhões para as linhas de comercialização de produtos, R$ 15 bilhões nas de financiamento da produção agropecuária, R$ 2 bilhões nas de investimento e R$ 3 bilhões para capital de giro.

Essas linhas valerão tanto para produtores rurais (pessoas físicas) quanto para empresas que atuam no agronegócio.

O Banco do Brasil também destinou R$ 3 bilhões para o financiamento de equipamentos e obras na área de saúde por estados e prefeituras. Eles podem contratar desde que tenham limite de crédito no BB e atendam as condições legais previstas pelo Tesouro Nacional (endividamento).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.